Última hora

Em leitura:

Liga Portuguesa J30: Um pequeno passo para o Benfica, um grande passo rumo ao tetra


mundo

Liga Portuguesa J30: Um pequeno passo para o Benfica, um grande passo rumo ao tetra

  • Porto volta a empatar e tem apenas uma vitória nos últimos cinco jogos
  • Tondela vence segundo jogo seguido, não o fazia desde o “milagre” do ano passado
  • Domingos Paciência estreia-se com derrota no Belenenses

O futebol assenta em algumas regras bastante simples: vence quem marcar mais golos, o vencedor ganha três pontos e o perdedor regressa a casa de mãos a abanar. Uma divisão simples,que se complica quando toca a discutir o valor de um empate. Um ponto ganho ou dois perdidos? A 30ª jornada da Liga Portuguesa deixou bem claro que um ponto não tem o mesmo valor para todos. Benfica e FC Porto empataram ambos os seus encontros, mas se no caso dos encarnados se pode falar de um ponto ganho, no caso dos dragões trataram-se claramente de dois pontos perdidos.

No dérbi de Lisboa, ninguém mostrou argumentos suficientes para conquistar os três pontos. Ambas as equipas mostraram qualidade na hora de defender mas raramente conseguiram fazer mais de três passes consecutivos. Sem surpesa, ambos os golos foram marcados na sequência de lances de bola parada. Primeiro o Sporting, com o capitão Adrien Silva a aproveitar da melhor forma uma grande penalidade “oferecida” por Ederson.


No segundo tempo, e já depois da equipa leonina ter desperdiçado algumas oportunidades para fazer o 2-0 (Bas Dost esteve bem distante do seu melhor), o Benfica chegou à igualdade por Victor Lindelöf. O sueco mostrou alguns dotes até então desconhecidos e garantiu um ponto para os encarnados através da marcação irrepreensível de um livre direto.

Apesar do pontapé perfeito de Lindelöf, dificilmente se pode falar de um simples momento de inspiração, Rui Vitória revelou após o encontro que o defesa tinha vindo a trabalhar a marcação de livres há várias semanas. Foi agora recompensado com um golo que trouxe justiça ao marcador.


O ponto conquistado em Alvalade manteve o Benfica na liderança e ganhou um sabor ainda mais especial no dia seguinte quando o FC Porto não foi além de um nulo na recepção ao Feirense. Os 26 remates e 68% de posse de bola impressionam em termos de quantidade mas a qualidade raramente esteve presente e quando não há ideias nem capacidade de desequilíbrio, nada feito.

Sem Brahimi nem Corona, provavelmente os dois únicos jogadores do plantel capazes de tirar um coelho de uma cartola, o conjunto de Nuno Espírito Santo usou e abusou dos cruzamentos mas Vaná foi rei e senhor entre os postes. Com este resultado, o FC Porto ficou a três pontos do Benfica quando faltam apenas quatro jornadas, o título é cada vez mais uma miragem e mesmo o segundo lugar começa a estar ameaçado. É verdade que a equipa azul-e-branca tem cinco pontos de vantagem, mas também é verdade que apenas venceu um dos últimos cinco encontros e o calendário até final está longe de ser fácil.


Quem está em grande forma é o Vitória de Guimarães, que recebeu e venceu o Boavista por 2-0. A equipa de Pedro Martins foi a única do top-5 a conquistar os três pontos e somou a quinta vitória consecutiva (a melhor série em vigor na Liga Portuguesa). Tem o quarto lugar praticamente assegurado uma vez que o Sporting de Braga foi derrotado por 3-1 na Mata Real e está já a cinco pontos dos vimaranenses.

Já o Marítimo também não desarma na corrida por um lugar europeu e derrotou categoricamente o Belenenses por 3-0. Nem a mudança de treinador (Domingos Paciência estreou-se após a saída de Quim Machado) valeu aos azuis do Restelo, com a equipa a somar a sexta derrota consecutiva. Ao invés, no Estoril a chegada de Pedro Emanuel tem dados frutos e os canarinhos estão agora tranquilos. No sábado derrotaram o Vitória de Setúbal por 3-0 e somaram a terceira vitória nos últimos quatro jogos. A completar a série de três jogos que terminaram com uma vitória da equipa da casa por 3-0, temos o Rio Ave – Arouca. O capitão Tarantini estabeleceu o resultado final.


Na luta pela manutenção, o Tondela parece disposto a repetir o “milagre” da temporada passada e pela primeira vez esta temporada somou duas vitórias consecutivas. A equipa de Pepa recebeu e venceu o Nacional por 2-0 e praticamente condenou o conjunto madeirense (lanterna-vermelha a cinco pontos da linha de água e com duas derrotas consecutivas frente aos principais rivais na luta pela manutenção). Os beirões estão agora a dois pontos do Moreirense, que não foi além de um empate a zero com o Desportivo de Chaves no encontro que fechou a jornada esta segunda-feira.

Figura da jornada

Victor Lindelöf
Desde que Rui Vitória lhe deu uma oportunidade, não mais largou o onze titular do Benfica e é hoje um esteio na defesa encarnada. O sueco raramente comete um erro defensivo e é provavelmente o melhor central a sair para o ataque no futebol português. Aos 22 anos de idade tem os grandes tubarões do futebol europeu a rondar e agora tem mais um atributo a juntar ao currículo: os livres diretos. A amostra por enquanto é pequena mas o potencial está lá.

CARREGA BENFICA!

Uma publicação partilhada por Victor Lindelöf (@victorlindelof) a

Os nossos destaques

mundo

Operar um cavalo, uma tarefa complexa