This content is not available in your region

Vivendi: Aquisições à vista na publicidade e nos videojogos

Access to the comments Comentários
De  Patricia Cardoso  com AFP, Ansa, Reuters
Vivendi: Aquisições à vista na publicidade e nos videojogos

<p>A Vivendi pretende reforçar a sua presença no setor da publicidade e dos videojogos. Para isso, segundo algumas fontes, o gigante francês dos “media” pretende comprar o grupo de publicidade Havas e o especialista de videojogos Ubisoft este ano. </p> <blockquote class="twitter-tweet" data-lang="pt"><p lang="en" dir="ltr"><a href="https://twitter.com/hashtag/Vivendi?src=hash">#Vivendi</a> considers video games, advertising acquisitions, Reuters reports <a href="https://t.co/CZVPJTN3MJ">https://t.co/CZVPJTN3MJ</a> <a href="https://twitter.com/search?q=%24HAVS&src=ctag">$HAVS</a>, <a href="https://twitter.com/search?q=%24UBSFY&src=ctag">$UBSFY</a></p>— tickerws (@tickerws) <a href="https://twitter.com/tickerws/status/856836584804581376">25 de abril de 2017</a></blockquote> <script async src="//platform.twitter.com/widgets.js" charset="utf-8"></script> <p>O objetivo é dissipar as interrogações dos investidores e alguns acionistas sobre a estratégia do grupo. </p> <p>O presidente Vicent Bolloré, cujo mandato foi renovado pelos acionistas, gastou nos últimos anos 15 mil milhões de euros em dividendos e aquisições de participações na Telecom Italia e Mediaset. Mas os resultados estão em queda, penalisados pelas contas do canal francês de televisão por satélite Canal+. </p> <p>Em teoria, a compra da Havas deverá ser fácil. Bolloré detém 60% da Havas e a empresa é gerida pelo filho Yannick. Já no caso da Ubisoft o negócio deverá ser mais difícil. A Vivendi detém apenas 25% da companhia e a família Guillemot poderá obrigar Bolloré a abrir os cordões à bolsa.</p>