Estados Unidos querem sanções internacionais mais severas sobre a Coreia do Norte

Access to the comments Comentários
De  Luis Guita
Estados Unidos querem sanções internacionais mais severas sobre a Coreia do Norte

<p>A administração Trump afirmou, quarta-feira, que pretende conduzir a Coreia do Norte ao desmantelamento do programa nuclear e de mísseis balísticos, através de sanções internacionais mais severas e pressão diplomática, e permaneceu aberta a negociações para o conseguir.</p> <blockquote class="twitter-tweet" data-lang="en"><p lang="en" dir="ltr">At an unusual White House meeting, all 100 senators were told the Trump admin wants to bring North Korea “to path of dialogue.” <a href="https://t.co/8xAC4cBclB">pic.twitter.com/8xAC4cBclB</a></p>— AJ+ (@ajplus) <a href="https://twitter.com/ajplus/status/857382296525066240">April 26, 2017</a></blockquote> <script async src="//platform.twitter.com/widgets.js" charset="utf-8"></script> <p>A posição norte-americana, que indica uma disposição para esgotar as opções não-militares, surgiu numa declaração após uma reunião da Casa Branca com todo o Senado para discutir a situação de tensão com a Coreia do Norte.</p> <blockquote class="twitter-tweet" data-lang="en"><p lang="en" dir="ltr">Sen. Chris Coons after WH North Korea briefing <a href="https://t.co/QpTluikaia">pic.twitter.com/QpTluikaia</a></p>— Howard Mortman (@HowardMortman) <a href="https://twitter.com/HowardMortman/status/857333372573687808">April 26, 2017</a></blockquote> <script async src="//platform.twitter.com/widgets.js" charset="utf-8"></script> <p>Para o Senador Democrata do Delaware, Chris Coons, o facto de a China e os aliados na região estarem a ser ouvidos é um ponto importante: “fiquei convencido de que o governo Trump, o secretário Tillerson e outros, estão a consultar todos os nossos aliados na região, e a China, para reduzir a probabilidade de um erro de cálculo, um mal-entendido. Dada a imprevisibilidade do regime norte-coreano, esta é uma situação inquietante e que todos nós devemos levar muito a sério “.</p> <p>Na sexta-feira, o secretário de Estado, Rex Tillerson, vai presidir a uma reunião ministerial do Conselho de Segurança da <span class="caps">ONU</span> que deverá discutir possíveis sanções sobre Pyongyang.</p> <blockquote class="twitter-tweet" data-lang="en"><p lang="en" dir="ltr">How North Korean leader Kim Jong Un has tightened his grip on power <a href="https://t.co/WCMuuV1Sl6">https://t.co/WCMuuV1Sl6</a> <a href="https://t.co/8VIqLyI5nt">pic.twitter.com/8VIqLyI5nt</a></p>— Tari Adonia (@tariadonia) <a href="https://twitter.com/tariadonia/status/853927140542296064">April 17, 2017</a></blockquote> <script async src="//platform.twitter.com/widgets.js" charset="utf-8"></script> <p>Segundo autoridades norte-americanas, as sanções podem incluir um embargo de petróleo, a interceção de navios cargueiros e a punição de bancos que fazem negócios com o regime de Kim Jong-un.</p> <p>Contudo, para serem eficazes, as medidas necessitam do apoio da China, vizinha da Coreia do Norte e seu único aliado.</p>