Última hora

Em leitura:

Suécia: Milhares comemoram a chegada da primavera na Walpurgis Night


mundo

Suécia: Milhares comemoram a chegada da primavera na Walpurgis Night

A cada 30 de abril, milhares de pessoas reúnem-se nos parques e nos espaços ao ar livre um pouco por toda a Suécia para comemorar Walpurgis Night, ou Valborg, o dia que marca a chegada oficial da primavera.

Apesar de outros países nórdicos e bálticos comemorar este dia, cada um tem as suas tradições relacionadas com rituais históricos. Na Suécia, o Valborg significa churrasco, bebidas, diversão e sol.

As maiores celebrações ocorrem nas cidades onde há mais estudantes como Uppsala, Goteborg e Lund. Os jovens juntam-se aos residentes para desfrutar das comemorações. O evento deste ano realizado em Lund superou o do ano anterior: participaram mais de 25.000 pessoas.

“Ouvi falar apenas de um número, 30.000. Vieram pessoas de todo o sul da Suécia”, disse Joanna, uma das jovens responsáveis ​​pela segurança e pela distribuição de água.

Esta enorme festa é vista como uma desorganização organizada, como lembra Joanna. Em Lund, o Valborg, acontece sempre em Stadsparken, começando no início da manhã e até ao final do dia.

Normalmente as celebrações do Valborg não são verdadeiramente organizadas, mas as pessoas espontaneamente reúnem-se para um piquenique durante o dia. Em Lund, as autoridades locais responsabilizam-se pela música durante o dia, com a ajuda de AF Radio e controlam também as festas noturnas: há grupos que cantam à volta de uma grande fogueira que se acende sempre depois das 20h30.

Genevieve, de Malmo, explica a importância dos encontros feitos neste dia: “Vivemos caminhos separados, todos vão para escolas diferentes, temos amigos em muitos lugares. Mas neste dia, todos se encontram no mesmo sítio. Temos a oportunidade de ver pessoas que não vemos ha algum tempo”.

Para Genevieve, Valborg é uma celebração tradicional. Para outros, como Kevin de Lund, Valborg é “como o Natal”. Mas tendo em mente que Lund é uma cidade estudantil, com um grande número de estudantes internacionais, para alguns deles esta foi uma experiência única. “Foi divertido. Raramente temos dias ensolarados como este na Suécia, estou feliz que foi um dia com muito sol e a experiência foi muito boa”, diz Imran do Paquistão que veio para Stadsparken às 8h da manhã e ficou até à noite .

A amiga, Gabriela, de El Salvador, ficou impressionada com o nível de organização e simpatia da polícia e de todos os responsáveis ​​pela segurança. “Acho que este evento foi muito muito organizado, há cerca de duas horas havia lixo em todo o lado e agora tudo está limpo, são todos simpáticos, muito civilizados, muito educados”.

O principal momento do Valborg é a grande fogueira. Como Joanna explica a tradição de acender a fogueira tem origem na altura em que era usada para queimar ou afastar as bruxas. “Hoje usamos a fogueira para nos juntarmos, para o churrasco, e para comemorar a chegada do calor”, diz Joanna.

Imran, que celebra o Valborg primeira vez, acredita que a Suécia deve divulgar ainda mais esta celebração.

“É um evento tão bonito e enorme e é tipicamente escandinavo não divulgá-lo. Nunca tinha visto nada sobre Valborg até janeiro, altura em que alguém me disse que seria uma grande festa. Ouvimos falar dos carnavais gregos, ouvimos falar sobre o OctoberFest alemão, ouvimos falar de muitas celebrações, do Ano Novo Chinês, por exemplo. O Valborg é bom também para a indústria, para o turismo, para a cidade. Numa pequena cidade como esta, deveria haver mais divulgação. E os suecos são pessoas tão agradáveis, por que não convidar mais gente de fora”, diz Imran.

Mais ou menos populares, o número de participantes vai sempre crescendo.

Artigo e fotografias de Una Čilić

mundo

Dinamarca usa o Sol para produzir energia elétrica e térmica numa única central