Última hora

Em leitura:

Brexit: City poderá perder milhares de empregos


economia

Brexit: City poderá perder milhares de empregos

Qual será o futuro da City após a saída do Reino Unido da União Europeia? A questão faz parte do debate sobre o Brexit.

Em Londres, um milhão de pessoas trabalha nos importantes setores bancário e financeiro, ou seja, um em cada 14 empregos.

O presidente da Câmara de Londres, Sadiq Khan, estima que o Brexit poderá ser uma “catástrofe” para a cidade em termos financeiros e de emprego.

Jeremy Browne, representante especial da City na União Europeia, adianta: “Muitas pessoas trabalham no bairro financeiro de Londres. Isso gera muitas receitas fiscais para o governo britânico, por isso, é benéfico para economia britânica e para a economia europeia, em geral”.

Para manterem acesso ao mercado único após o Brexit, algumas instituições financeiras já anunciaram a transferência de atividades para outros países da UE.

Mas Londres deverá manter mesmo assim um papel importante, segundo J.P. Leschly Neergaard, chefe da divisão internacional do Danske Bank: “Londres é um centro financeiro, não só para a Europa e para a União Europeia, mas para todo o mundo. Londres salvaguarda muitos dos interesses financeiros da Europa e faz isso há anos”.

Por exemplo, o banco Standard Chartered vai instalar a sede europeia em Frankfurt e o HSBC escolheu Paris. O Lloyds Group, o maior banco de retalho do Reino Unido, poderá fixar as atividades europeias em Berlim.

O Instituto Bruegel estima que a City poderá perder até 30 mil empregos, com o Brexit.

Mas há quem diga que podem ser muitos mais empregos:

Há pontos de vista diferentes para cada história: a Euronews conta com jornalistas do mundo inteiro para oferecer uma perspetiva local num contexto global. Conheça a atualidade tal como as outras línguas do nosso canal a apresentam.

economia

Reino Unido: Vendas de carros afundam 19,8% em abril