Última hora

Em leitura:

ONGs exigem cessar-fogo para dar trégua à fome no Iémen


Iémen

ONGs exigem cessar-fogo para dar trégua à fome no Iémen

Várias organizações internacionais voltaram a apelar a um cessar-fogo humanitário no Iémen, para dar assistência a mais de sete milhões de pessoas em risco de morrer à fome.

Em Al-Hodeida, no leste do país, o enterro de uma menina de sete anos, vítima de desnutrição, ilustra a falta de acesso de mais de dois terços da população a víveres e medicamentos.

A mãe da criança, Amal Ibrahim, explica:

“Ela estava muito doente e eu fiz tudo para que fosse hospitalizada e e a única solução foi tentar conseguir algum dinheiro para que pudesse ser tratada. Vendemos a mobília, uma ovelha e tudo o que tínhamos. Queria que a Jamila tivesse uma vida saudável mas não fomos capazes de conseguir salvá-la”.

Uma situação que algumas ONGs atribuem a um alegado “fracasso da diplomacia internacional” em pôr termo ao conflito que mina o país há mais de dois anos.

“Meio milhão de crianças sofrem neste momento de desnutrição grave. E é quase um eufemismo uma vez que estão à beira de morrer de fome. Meio milhão e este número continua a aumentar. E não é apenas em certas áreas do país. Está a acontecer no norte, no oeste, leste e no sul do território”,a firma Jan Egeland da ONG Norwegian Refugee Council.

Em paralelo às restrições atuais, o responsável do Programa Alimentar Mundial alertou para o risco que o conflito militar possa levar ao encerramento do porto de Hodeida, por onde circulam 99% das importações do Iémen.

Segundo a ONU, a falta de acesso a ajuda humanitária é a causa direta da morte de uma criança de menos de cinco anos a cada dez minutos no país.