Última hora

Os golpes publicitários da Royal Jordanian

Humor, atualidade e golpe publicitário: a receita funciona na perfeição para a Royal Jordanian.

Em leitura:

Os golpes publicitários da Royal Jordanian

Tamanho do texto Aa Aa

Humor, atualidade e golpe publicitário: a receita funciona na perfeição para a Royal Jordanian. Desta vez, a companhia aérea jordana evocou as eleições francesas.

No Twitter, a companhia fala de uma viragem à esquerda, usando a trajetória aérea para aludir à derrota de Marine Le Pen.

E mesmo antes de serem conhecidos os resultados da segunda volta das presidenciais francesas, a Royal Jordanian interrogava-se sobre a subida do extremismo em França, jogando com as palavras inglesas distante e extrema-direita.

Esta não é a primeira campanha publicitária satírica da companhia. Mas tal como as precedentes, as publicações conquistaram as redes sociais e o resultado surpreende mesmo aos autores.

Khalil Attieh, da Memac Ogilvy, revela: “Em pouco tempo, todas as campanhas da Royal Jordanian conseguiram mais de 600 milhões de visualizações e envolvimento de marca. Isso superou as nossas expectativas”.

A companhia já tinha recorrido à sátira antes das eleições presidenciais nos Estados Unidos, aquando do decreto de Trump sobre a proibição de entrada no EUA de cidadãos de sete países muçulmanos ou a proibição de aparelhos eletrónicos a bordo.

Apesar do aspeto político das publicidades, a companhia diz que não se envolve na política, como refere Server Aydin, chefe da divisão comercial: “Em primeiro lugar não somos uma companhia política, não interferimos na política de nenhum país. Mas, vemos que há um problema de discriminação, não só na indústria aérea e não apenas nos últimos três ou seis meses”.

E foi para denunciar estereótipos e discriminações que a companhia lançou, em finais de abril o vídeo, não humorístico, #FearOfFlying (Medo de Voar, em português)