Última hora

Última hora

"Breves de Bruxelas": o défice francês e o acordo UE/México

Para enviar um claro aviso a Emmanuel Macron, o presidente da Comissão Europeia disse que o governo francês está a gastar demais e de forma errada.

Em leitura:

"Breves de Bruxelas": o défice francês e o acordo UE/México

Tamanho do texto Aa Aa

Para enviar um claro aviso a Emmanuel Macron, o presidente da Comissão Europeia disse que o governo francês está a gastar demais e de forma errada.

Mas o comissário para os Assuntos Económicos e Financeiros está otimista quanto à capacidade do país de colocar a despesa em conformidade com as regras da União Europeia e reduzir o seu défice.

Numa conferência de imprensa em Paris, na terça-feira, Pierre Moscovici disse: “Estou convencido de que a França pode e deve sair agora do procedimento por défice excessivo (…). Temos todos os motivos para crer que o objetivo de reduzir o défice abaixo dos 3% do PIB, é exequível”.

Emmanuel Macron quer economizar 60 mil milhões de euros, ao longo de cinco anos, o que inclui cortar 120 mil empregos na função pública.

Neste programa que passa em revista a atualidade europeia diária destacamos, também, a decisão da União Europeia e do México de reforçar os seus laços bilaterais e renovar, o mais rapidamente possível, o acordo de livre comércio, em vigor desde 2000.

Para terminar, recordamos que o Tribunal Europeu de Justiça, no Luxemburgo, realiza, quarta-feira, uma audiência sobre o sistema de recolocação por quotas da União Europeia.

A Hungria e a Eslováquia apresentaram uma queixa contra o Conselho Europeu. O sistema está em vigor desde setembro de 2015, mas estes dois Estados-Membros consideram-no ilegal e não receberam um único refugiado no âmbito desse regime.