Última hora

Estado de emergência social em Manaus para lidar com migrantes venezuelanos

A prefeitura da capital do Amazonas espera ajuda do Governo Federal por causa da chegada de centenas de venezuelanos à região, que fogem da crise.

Em leitura:

Estado de emergência social em Manaus para lidar com migrantes venezuelanos

Tamanho do texto Aa Aa

Com Agência Brasil e Lusa

A prefeitura da cidade brasileira de Manaus, estado do Amazonas (região norte) decretou o estado de emergência social, devido à chegada de centenas de venezuelanos, que tentam escapar à grave crise económica e social que afeta o país latino-americano.

A maioria dos venezuelanos que, tendo atravessado o estado de Roraima (norte, fronteira com a Venezuela e a Guiana), passou pela cidade de Boa Vista, pertence ao grupo nativo da etnia warao.

São originários do Delta do rio Orinoco, estado Delta Amaruco, no nordeste venezuelano.

As autoridades locais falam cerca de 400 pessoas, 180 das quais, crianças, que pedem esmolas pela cidade.

A Agência Brasil que as famílias estão acampadas em condições precrárias na capital amazonense.


Muitos não têm sequer documentos de identificação. A prefeitura de Manaus e as secretarias municipal e estadual de Saúde têm oferecido, segundo a Agência Brasil, assistência médica aos migrantes.

A principal porta de entrada dos venezuelanos que tentam fugir da crise e que optam pelo Brasil, muitos em busca de comida, é o estado de Roraima, mais precisamente o município de Paracaima, na fronteira com Santa Eelena de Uiarén.


Pelo menos 44 pessoas morreram entre um de abril e sete de maio na Venezuela, no âmbito de protestos contra o Governo do Presidente Nicolás Maduro.

Os dados foram divulgados esta quarta-feira pelo Observatório Venezuelano de Conflituosidade Social (OVSC).

O OVSC diz também, que no mesmo período considerado, registaram-se mais de 940 manifestações na Venezuela, a maioria das quais nos estados de Carabobo, Miranda, Arágua e Lara, assim como no Distrito Capital (Caracas).