Última hora

Em leitura:

França: Legislativas obrigam partidos a fazer mudanças


França

França: Legislativas obrigam partidos a fazer mudanças

Hot Topic Saiba mais sobre Eleições presidenciais francesas 2017

Após conquistar a presidência de França, Emmanuel Macron prepara-se agora para constituir Governo e enfrentar um novo escrutínio – as legislativas de 11 e 18 de junho.

O presidente eleito abandonou a liderança do seu movimento rebatizado “La Republique en Marche” (a República em Marcha) e delegará a liderança da campanha no novo primeiro-ministro, que será conhecido na próxima semana.

O movimento vai apresentar um candidato em cada uma das 577 divisões territoriais francesas.

“O conselho de administração, reuniu-se e definiu o primeiro marco da campanha parlamentar da maioria presidencial, nomeadamente ao decidir que o movimento ‘En Marche’ evoluiu para atingir o seu objetivo. Esta evolução será incorporada numa mudança de nome. O ‘En Marche’ vai transformar-se em ‘La Republique en Marche’. O congresso fundador desta nova força política, que marcará uma nova etapa do nosso movimento, acontecerá antes de 15 de julho com o mesmo espírito do ‘En Marche’”, afirmou o secretário-geral do movimento, Richard Ferrand.

Também a Frente Nacional, de Marine Le Pen, prepara mudanças. Apesar da derrota de domingo, os militantes de extrema-direita preparam a campanha para aumentar o número de assentos no Parlamento francês. No escrutínio presidencial, o partido ultraconservador conseguiu mais de 11 milhões de votos.

“É uma mutação do nosso movimento que deve ter em conta a mudança da dimensão eleitoral. A Frente Nacional é uma ferramenta que vai evoluir para ser mais eficiente, reunir ainda mais pessoas, depois do número de eleitores que obtivemos. Temos uma enorme responsabilidade face aos franceses que confiam em nós”, lembra o secretário-geral, Nicolas Bay.

Segundo uma sondagem Sofres-Kantar OnePoint, o “Republique En Marche!” será a constituição política mais votada, nas legislativas de junho, mas sem conseguir a maioria no Parlamento, reunindo entre 24 e 26% das intenções de voto. Os republicanos conseguem 22%, a Frente Nacional será a terceira força política, conquistando entre 21 e 22% das intenções de voto, o movimento “França Insubmissa”, de Jean-Luc Mélenchon conquistará entre 13 e 15%. O Partido Socialista francês continua a ser penalizado conquistando, apenas, entre 8 a 9% das intenções de voto dos franceses.

Há pontos de vista diferentes para cada história: a Euronews conta com jornalistas do mundo inteiro para oferecer uma perspetiva local num contexto global. Conheça a atualidade tal como as outras línguas do nosso canal a apresentam.

EUA

EUA: Sally Yates garante ter avisado Donald Trump sobre Michael Flynn