Última hora

Última hora

Centenário das Aparições de Fátima: Papa Francisco já descansa na Casa de Nossa Senhora do Carmo

O Sumo Pontífice chegou no "papamóvel" sem se mostrar, mas os peregrinos que o aguardavam compreenderam, havendo quem sugerisse que "ele está muito cansado."

Em leitura:

Centenário das Aparições de Fátima: Papa Francisco já descansa na Casa de Nossa Senhora do Carmo

Tamanho do texto Aa Aa

A chegada do papa esta noite à Casa de Nossa Senhora do Carmo, onde vai pernoitar, foi seguida de alguma desilusão por o mesmo ir na parte interior do papamóvel, mas os peregrinos logo mostraram compreensão, afirmando que “ele está muito cansado”.

O papa Francisco chegou à Casa de Nossa Senhora do Carmo às 22:30 (hora local), tendo sido recebido com aplausos, assim que a viatura que o transportava se tornou visível para algumas dezenas de peregrinos que o aguardavam.

Contudo, o papa viajava no interior da viatura, a qual era seguida por vários elementos da sua comitiva, que andavam em passo acelerado.

O papa entrou depois no interior da Casa de Nossa Senhora do Carmo, ouvindo-se ainda alguns “vivas” da parte dos peregrinos, que empunhavam velas e telemóveis.

Ao aperceberem-se que o papa não ia saudar os peregrinos, estes refrearam o entusiasmo para logo em seguida comentarem entre si que era natural, pois “ele está muito cansado”.


Antes, o papa Francisco participou na cerimónia de bênção das velas no Santuário de Fátima. Na ocasião, Francisco lembrou “cada um dos deserdados e infelizes a quem roubaram o presente” e os “excluídos e abandonados a quem negam o futuro”.

Na cerimónia, na Capelinha das Aparições, Francisco pediu também a bênção para os “órfãos e injustiçados a quem não se permite ter um passado”.

Perante milhares de peregrinos que assinalam o Centenário das Aparições, e na véspera da canonização dos pastorinhos Jacinta e Francisco Marto, o papa interpelou diretamente os fiéis, questionando-os sobre com qual “Maria” peregrinam.

Fatima 2017

“A Bendita por ter acreditado (…) ou (…) a ‘Santinha’ a quem se recorre para obter favores a baixo preço?”, questionou o Bispo de Roma, para quem os cristãos devem ser, antes de mais, “marianos”.

Na sua intervenção, o papa Francisco fez, ainda, uma exortação à necessidade de os católicos serem misericordiosos.

“Devemos antepor a misericórdia ao julgamento e, em todo o caso, o julgamento de Deus será sempre feito à luz da sua misericórdia”, disse Francisco perante uma multidão de peregrinos de velas acesas nas mãos.

Texto: Lusa (SMM/ SR/ JLG)
Edição: Francisco Marques