Última hora

Em leitura:

Ciberataque: Europol afirma que há mais de 200 mil vítimas


mundo

Ciberataque: Europol afirma que há mais de 200 mil vítimas

A Europol revelou que o ciberataque de sexta-feira (12 maio) afetou mais de 200 mil equipamentos em, pelo menos, 150 países.


Numa entrevista a um programa de televisão britânico, o diretor da polícia europeia, Rob Wainwright, alertou que o número de vítimas, do programa malicioso, pode ainda aumentar, no início da semana, quando as pessoas voltarem ao trabalho.

“Na Europol temos cerca de 200 operações globais contra o crime cibernético, por ano, mas nunca vimos nada como isto. Vimos o pedido de resgate a tornar-se na principal ameaça cibernética, mas isto é algo nunca visto. Este alcance global não tem precedentes. A última contagem mostra que há mais de 200 mil vítimas em, pelo menos 150 países”, afirmou o diretor da Europol.

O ciberataque, descrito como “sem precedentes”, atingiu empresas e instituições de todo o mundo. Vários hospitais, na Indonésia e no Reino Unido foram atingidos, na China foram escolas, em Espanha, por exemplo, foi a Telefónica.

Em França, a Renault viu-se obrigada a suspender a produção de automóveis em algumas das suas fábricas.

Wainwright reforçou a ideia de que, hoje em dia, a cibersegurança deve ser uma das principais preocupações das instituições mundiais.


Alemanha: Escrutínio na Renânia do Norte-Vestefália pode ditar quem será o próximo chanceler

Alemanha

Alemanha: Escrutínio na Renânia do Norte-Vestefália pode ditar quem será o próximo chanceler