Última hora

Última hora

O frio acolhimento de Okja, da Netflix, em Cannes

O filme, do sul-coreano Bong Joon-ho, conta a batalha de uma jovem contra uma poderosa empresa norte-americana para salvar o seu melhor amigo, um animal muito especial.

Em leitura:

O frio acolhimento de Okja, da Netflix, em Cannes

Tamanho do texto Aa Aa

Com agências

Em Cannes, o filme Okja, do sul-coreano Bong Joon-ho, o primeiro filme da Netflix candidato a uma Palma de Ouro, foi recebido de forma fria, esta sexta-feira de manhã, durante a primeira exibição. Algumas vaias, uma interrupção e aplausos depois, a verdade é que a primeira sessão conseguiu, pelo menos, um objetivo: não passar despercebida.

A presença de um filme produzido pela Netflix foi muito criticada em Cannes, já que os produtores consideram que a forma de distribuição do conteúdo, em streaming e fora das salas de cinema, constitui concorrência desleal.

A organização do Festival de Cannes já disse que tem a intenção de alterar as regras da próxima edição, permitindo em competição apenas filmes cuja distribuição em salas de cinema seja assegurada.