Última hora

Em leitura:

Os tesouros que Cuba guardou até agora


Cult

Os tesouros que Cuba guardou até agora

A cidade de Holguín situa-se no sudeste da ilha de Cuba. É a partir daqui que Carlos Chiong Cruz, especialista em conservação e restauro patrimonial, nos leva a descobrir um tesouro colonial que tem ajudado a renascer.

Para chegar à antiga localidade de Gibara, temos de atravessar um antigo túnel ferroviário. “Não é necessário dizer que a Torre de Pisa deve ser restaurada, por exemplo. Com Gibara é o mesmo: temos de preservar a sua lucidez e brilho”, diz-nos Carlos.

O processo de renovação desta pequena cidade piscatória começou há apenas alguns anos. Durante muito tempo, a pitoresca Gibara era considerada como “o segredo mais bem guardado de Cuba”. Projetos de remodelação como os do hotel Arsenita representam a estratégia de diversificação turística da ilha.

“Estamos muito empenhados em reforçar a nossa capacidade hoteleira e o Arsenita é um exemplo do esforço que tem sido feito”, afirma Carlos Chiong Cruz.

É aqui que se realiza desde 2003 o chamado “Festival Internacional de Cinema Pobre”, fundado por Humberto Sólas, figura incontornável do cinema cubano.

“Ele teve a ideia maravilhosa de unir este tipo de cinema e chamá-lo de ‘pobre’. Mas, na verdade, é rico, porque enaltece o ser humano, as pessoas que amam a paz, a dignidade e a humanidade no mundo”, afirma Carlos Chiong Cruz.

O outro lado de Cuba

Em 2016, Cuba ultrapassou pela primeira vez a fasquia dos 4 milhões de visitantes, uma das conquistas celebradas pela FIT, a feira anual de turismo que se realizou precisamente em Gibara. O encontro lançou a localidade como a nova atração turística do país.

Não muito longe, em Santiago de Cuba, assistimos a um espetáculo de Tumba Francesa, uma música trazida por escravos do Haiti que se tornou Património Cultural Imaterial da Unesco.

Em Cuba, a música soa um pouco por todo o lado. Afinal, este é o país que deu ao mundo o fenómeno Buena Vista Social Club.

Em contraste com os grandes polos turísticos de Havana e Varadero, a parte este do país oferece experiências muito diferentes. Nos arredores da cidade de Baracoa encontramos o Parque Natural Duaba, onde se desenvolve o ecoturismo. Alina Tompson Wilson, representante do governo, explica que “os turistas vêm até aqui para disfrutar da natureza, dos rios, das praias e, sobretudo, de todo o calor humano que existe na parte este do país”.

Outra proposta: o “Circuito Sociocultural do Cacau”. Juan Sanamé Ribero dá a descobrir uma atividade que já os seus antepassados praticavam. “É um estilo de vida anterior aos meus pais. E é o que me agrada. Ainda por cima, o cacau é afrodisíaco!”, diz, entre risadas.

Os nossos destaques

Artigo seguinte

Cult

Europa rende-se a Salvador