Última hora

Última hora

Ataque em Manchester: investigação avança

Em leitura:

Ataque em Manchester: investigação avança

Tamanho do texto Aa Aa

O progresso do inquérito ao atentado suicida na Manchester Arena, que fez 22 mortos na passada segunda-feira, continua, com o “desmantelamento de uma boa parte” da rede jihadista por trás do ataque, segundo a polícia.

Mais uma detenção executada na sexta-feira à tarde sobe para 9 o número de suspeitos detidos em ligação com o ataque feito à saída do concerto de Ariana Grande e reivindicado pelo grupo terrorista Estado Islâmico.

O homem agora preso na zona de Rusholm, a sul de Manchester, tem 44 anos.

Progressos “imensos” e “pistas importantes”, de acordo com as autoridades, pela voz de Mark Rowley, diretor da Unidade Nacional Britânica de Contra-Terrorismo: “Estas detenções são muito importantes, estamos muito satisfeitos por termos na mão alguns dos indivíduos chave da investigação. Mas, como digo, há ainda mais a fazer.”

Salam Abedi, de 22 anos, britânico nascido em de origem líbia e autor da explosão que pôs o Reino Unido em estado de alerta crítico, o mais alto face a ameaça terrorista e que pressupõe ataques iminentes, morreu no local.

As vítimas continuam a ser lembradas em Manchester. Além das mais de duas dezenas de mortes, entre as quais figuram crianças, há 116 pessoas feridas, 66 das quais hospitalizadas e 23 em estado crítico.