Última hora

Em leitura:

Médio Oriente: prisioneiros palestinianos terminam greve de fome


Israel

Médio Oriente: prisioneiros palestinianos terminam greve de fome

Em Jerusalém, centenas de prisioneiros palestinianos terminaram este sábado uma greve de fome.

A greve começou a 17 de abril e durou 40 dias. Os detidos protestam contra as condições de vida no interior das prisões israelitas.

Inicialmente participaram no protesto mil e cem prisioneiros.

A greve levou ao aumento das tensões entre israelitas e palestinianos.

Várias manifestações de apoio aos prisioneiros degeneraram em confrontos com forças israelitas na Margem Ocidental e ao longo da fronteira entre Israel e Gaza.

A decisão de terminar a greve de fome foi tomada após conversações entre o Comité Internacional da Cruz Vermelha e a Autoridade Palestiniana.

A greve foi convocada por Marwan Barghouti, o mais conhecido prisioneiro palestiniano detido por Israel.

Cerca de seis mil e quinhentos palestinianos encontram-se detidos em prisões israelitas.