Última hora

Em leitura:

O "Low Cost" mais barato depois do Brexit?


Economia

O "Low Cost" mais barato depois do Brexit?

A Ryanair prevê uma redução adicional das suas tarifas, entre 5% e 7% na sequência da desvalorização da libra e do processo de saída do Reino Unido da União Europeia.

A companhia aérea irlandesa apresentou os resultados do ano fiscal, marcados por um lucro liquído de 1.316 milhões de euros, em alta de 6%, graças à redução dos preços dos bilhetes de avião e dos custos unitários.

Segundo um responsável da companhia:

“Para a indústria em geral, eu penso que o ‘Brexit’ continua a ser um tema importante, ainda mais quando há um excesso de oferta na Europa, quando os voos charters estão a instalar-se na Europa, vindos da Turquia e da África do Norte. Tratam-se dos dois maiores desafios do próximo ano, incluindo também a questão dos incidentes de segurança”.

Mais de um quarto da faturação da companhia depende atualmente das vendas a bordo, bagagens e serviços prioritários.

A Ryanair espera um aumento de 8% do transporte de passageiros, de forma a poder superar os 120 milhões transportados no exercício anterior.