Última hora

Em leitura:

Bruxelas apresenta propostas para "democratizar" zona euro


A redação de Bruxelas

Bruxelas apresenta propostas para "democratizar" zona euro

A possibilidade de ter um presidente permanente e a tempo inteiro no Eurogrupo e que poderia, mesmo, acumular o cargo de comissário para os Assuntos Económicos e Financeiros é uma das propostas para melhorar o funcionamento da zona euro.

Esta ideia consta de um documento de reflexão apresentado, quarta-feira, pela Comissão Europeia.

“A governação da zona euro não pode ficar fora da exigência democrática. Precisamos de um controlo democrático e é necessário reforçar o papel do Parlamento Europeu no sentido de desempenhar essa função”, explicou Pierre Moscovici, comissário europeu para os Assuntos Económicos e Financeiros.

“São precisos instrumentos que podem levar, de uma forma ou de outra, à criação de um orçamento, ou de um tesouro. Há uma necessidade, que é natural, da zona euro ter melhor governação e maior controlo parlamentar”, acrescentou Moscovici.

Contudo, os 19 países da zona euro, e os outros que se venham a juntar, têm de chegar a um consenso sobre esta reforma.

“Não podemos ter uma Europa a duas velocidades e, muito menos, uma zona euro a duas velocidades. A moeda única pressupõe reduzir as divergências e o seu objetivo é evitar essa essa noção de Europa a duas velocidades”, referiu o comissário europeu.

Completar a União Económica e Monetária com novos instrumentos democráticos é uma das prioridades para o governo português, que tem insistido com Bruxelas para fazer essa reforma o mais rapidamente possível.

A redação de Bruxelas

"Breves de Bruxelas": evasão fiscal e "faíscas" Alemanha/EUA