Última hora

Em leitura:

Liga dos Campeões: Predrag Mijatović recorda final de Amesterdão


Insight

Liga dos Campeões: Predrag Mijatović recorda final de Amesterdão

Predrag Mijatović terá sempre um lugar especial no Santiago Bernabéu. O montenegrino foi o herói na final que valeu o sétimo título europeu ao Real Madrid, frente à Juventus em Amesterdão em 1998.

As duas equipas voltam agora a discutir o troféu mais cobiçado do velho continente, no próximo sábado em Cardiff, e Mijatović esteve à conversa com a euronews e lembrou o golo mais importante da carreira:

“Estávamos conscientes que se tratava de uma final histórica, conhecíamos bem a estatística, há 32 anos que o Real não ganhava a Liga dos Campeões. A última vez tinha sido em 1966 contra o Partizan de Belgrado, o meu antigo clube.

Queríamos entrar para a história. A sétima Taça dos Campeões era um troféu muito desejado pelos adeptos do clube por isso estávamos bastante concentrados. Tínhamos seis vitórias na Liga dos Campeões mas as pessoas que não gostavam do Real Madrid gracejavam e diziam que eram todas a preto e branco.

O golo foi o mais importante da minha carreira, o momento mais saboroso. Houve um corte e a bola ficou solta na área. Como avançado, tudo o que fazia era por instinto, e não por pensar demasiado, tive de reagir rapidamente e consegui marcar.

Só passado um longo tempo tivemos noção do que fizemos, da importância da vitória. Enquanto jogamos não temos essa sensação mas assim que nos retiramos, ouvimos as pessoas na rua a comentar como se sentiam enquanto viam o jogo. É uma coisa linda de ouvir.”

Dezanove anos depois as duas equipas voltam a medir forças no jogo mais importante do futebol europeu. O Real procura tornar-se no primeiro clube a vencer a competição em dois anos consecutivos desde o Milan de Arrigo Sacchi, já a Juventus não levanta o troféu desde 1996. Mijatović não deixou de dar a sua opinião sobre os dois conjuntos.

“São dois clubes com dois estilos de jogo completamente diferentes. A Juventus normalmente apresenta uma equipa mais defensiva, sempre bem posicionada no terreno de jogo e à espera do mínimo erro do adversário. O Real Madrid é mais criativo, tem grandes jogadores como o Cristiano Ronaldo, o Bale, se jogar, Isco e Modrić no meio campo. Será uma final muito equilibrada.

O Buffon tem estado em grande nível esta temporada na Serie A e na Liga dos Campeões. É uma garantia de segurança para a Juventus, não sei se vão apresentar três ou quatro jogadores na linha defensiva mas são todos jogadores muito experientes. Depois no ataque têm o Dybala, um jogador muito criativo, é mágico. Num bom dia pode decidir o encontro. E o Higuaín, que vai estar super motivado ao jogar contra a sua antiga equipa e vai dar tudo para ganhar a Liga dos Campeões.

No Real Madrid, obviamente que tenho de mencionar o Sergio Ramos na defesa. É o capitão, o líder e muito forte neste tipo de partidas. Nos jogos decisivos é sempre um dos melhores em campo, não só nas suas funções defensivas mas também mortífero nas bolas paradas. No meio campo tenho de destacar Luka Modrić, faz tudo parecer simples, quando o vemos jogar ficamos com a impressão que jogar futebol é fácil mas está longe de ser o caso. E claro, no ataque há Ronaldo, Benzema, Bale…

Nesta final julgo que o favoritismo está ligeiramente do lado do Real. Normalmente não arrisco prognósticos mas neste caso vou apostar num 2-0 para o Real.”

O pontapé de saída está marcado para sábado às 19h45 (hora de Lisboa) e será arbitrada pelo alemão Felix Brych.

Insight

Eleição presidencial no Irão: Jovens sonham com democracia