Última hora

Em leitura:

Soros criticou o "regime mafioso" de Viktor Orbán na Hungria


A redação de Bruxelas

Soros criticou o "regime mafioso" de Viktor Orbán na Hungria

A maior fonte de esperança para o futuro da Europa são os movimentos de jovens, considera George Soros, de 86 anos, financeiro e filantropista norte-americano.

Grande crítico do atual regime na Hungria, seu país de origem, Soros diz-se orgulhoso da luta nas ruas contra o eventual encerramento da Universidade da Europa Central, que criou em Budapeste.

“Tenho grande admiração pela forma corajosa como o povo húngaro resistiu às mentiras e à corrupção do Estado mafioso criado pelo regime de Orbán. Também me sinto encorajado pela maneira enérgica como as instituições europeias têm respondido aos desafios colocados pela Polónia e pela Hungria”, disse o multimilionário, quinta-feira, num discurso no Fórum Económico de Bruxelas.

No caso da Hungria, o primeiro-ministro Viktor Orbán tem contra-atacado George Soros, que acusa de ser um especulador financeiro interessado em fomentar a oposição ao atual governo populista de direita.

George Soros também falou do Brexit, que considera uma tragédia, pedindo que a União Europeia seja mais unida nas reformas para resolver os problemas dos cidadãos.

A redação de Bruxelas

"Breves de Bruxelas": Acordo de Paris, reforma da zona euro