Última hora

Em leitura:

Refugiados obrigados a abandonar campo ilegal


Grécia

Refugiados obrigados a abandonar campo ilegal

O acesso ao antigo aeroporto de “Hellinikon”, esteve bloqueado pelas forças policiais gregas. O lugar tinha sido transformado num campo de refugiados ilegal. A polícia evacuou o local, esta sexta-feira. Quatrocentas e noventa pessoas, principalmente afegãs, foram obrigadas a recolher os seus pertences e a embarcar em autocarros, em direção a acampamentos criados para o efeito. Uma voluntária mostra-se preocupada:

“Estamos muito preocupados. É provável que a polícia tenha detido os refugiados com os quais estávamos em contacto. Eles não atendem os telefones. Temos medo, não sabemos onde estão. Ouvimos dizer que os transferiram para um centro de deportação, que vão deportá-los”, explica Maria Mpikaki.

Já fonte policial diz que a maioria, cerca de 350 pessoas, principalmente famílias, foi enviada para um campo em Tebas, a cerca de 70 quilómetros de Atenas. O presidente da câmara de Elliniko-Argyroupoli diz que a situação era insustentável:

“Após 365 dias de operação, o que desejamos, realmente, é que o Estado transfira essas pessoas para um acampamento melhor. Eles não devem ser levados de novo para “Hellinikon”. Isso não faria sentido”, afirma o autarca.

“Durante muitos meses, o antigo aeroporto tornou-se o lar de centenas de refugiados. Funcionários do governo argumentam que as condições de vida eram inaceitáveis e, por isso, decidiram retirá-los dali. Dizem também que estes não poderiam passar o verão em «Hellinikon». No entanto, os ativistas afirmam que os refugiados estão a ser levados contra a sua vontade”, explica um dos correspondentes da euronews na Grécia, Apostolos Staikos.

Venezuela

Maduro diz que nova constituição será submetida a referendo