Última hora

Em leitura:

Reino Unido: Eleitores questionam 'Brexit'


Reino Unido

Reino Unido: Eleitores questionam 'Brexit'

A saída do Reino Unido da União Europeia esteve no centro do debate entre os eleitores, a primeira-ministra conservadora, Theresa May, e o líder do Partido Trabalhista, Jeremy Corbyn.

A poucos dias das eleições legislativas de 8 de junho, ambos responderam às preocupações dos britânicos após Theresa May ter convocado eleições antecipadas a 18 de abril. Um ato visto, por alguns, como uma medida para favorecer o Partido Conservador.

“Não. Convoquei eleições gerais porque acredito que os britânicos têm o direito de votar e de dizer quem é que querem ver na liderança durante as negociações do Brexit. Acredito que eles devem ter um primeiro-ministro que tem uma determinação absolutamente resoluta de respeitar a sua vontade”, afirma May.

Com o aproximar do dia do escrutínio, segundo um estudo da Ipsos MORI, Theresa May vai caindo nas sondagens. 45% dos britânicos dizem estar dispostos a confiar o voto aos Tories.

Em ascensão está Jeremy Corbyn. O líder trabalhista recolhe 40% das intenções de voto e garante ter uma equipa preparada para liderar as negociações que vão levar o país à saída do bloco europeu.

“Fomos muito claros, em relação ao Brexit. O referendo existiu. Chegou-se a uma decisão. Vamos sair da União europeia. Temos uma grande equipa, com pessoas muito experientes. Keir Starmer é um dos principais advogados deste país. Penso que posso confiar as negociações a Keir Starmer, mais do que a algumas pessoas que estão a iniciar essas negociações”, assegura Corbyn.

O próximo primeiro-ministro britânico terá de enfrentar os líderes do bloco europeu nas difíceis negociações que vão levar à saída do Reino Unido da União Europeia. Bruxelas já deu sinais de que não pretende facilitar.

EUA não têm "porque pedir desculpas" pelo percurso energético

EUA

EUA não têm "porque pedir desculpas" pelo percurso energético