Última hora

Em leitura:

Danny deixa Zenit após nove anos em São Petersburgo


Desporto

Danny deixa Zenit após nove anos em São Petersburgo

O futebolista Danny anunciou o adeus ao Zenit de São Petersburgo. Pela respetiva conta oficial na rede social Instagram, o internacional português, de 33 anos, disse ter passado “nove anos incríveis” no clube, o segundo que representou na Rússia depois do Dinamo de Moscovo, de onde saiu em 2008 por 30 milhões de euros como o então jogador mais caro do campeonato russo.

“É com profunda tristeza que anuncio a minha saída do Zenit. Sempre joguei com muita vontade, dedicação, amor e paixão. Vesti a camisola do clube sempre com orgulho e, por isso, respeito a decisão de não renovarem comigo”, escreveu Danny.


Após agradecer aos “companheiros de equipa, treinadores e todos os funcionários com quem” partilhou “nove anos” da sua vida, o futebolista acrescentou que esta “despedida não é um fim, mas o início de uma nova aventura.”

Já com descendentes gémeos, Danny e a mulher Petra alargaram a família a 28 de abril com o nascimento de Emily, uma menina. O internacional português deixa o Zenit onde era o capitão da equipa e ainda não revelou onde irá prosseguir a carreira.

Первый и последний гол. С глубокой грустью я вынужден сообщить о своём уходе из Зенита. Я провёл 9 невероятных лет в этой команде, я играл всегда с большим желанием, отдачей, любовью и страстью, носил с честью футболку клуба, но я уважаю решение клуба не продлевать со мной контракт. Я благодарю за ту любовь, которую всегда получал в Санкт-Петербурге, спасибо всем за это! Благодарю игроков, тренеров и всех работников, с кем я разделил эти 9 лет. Я также благодарю всех людей, которых я здесь узнал, и которые были частью моей жизни в Петербурге. Желаю клубу удачи и много побед. Прощание – это не конец, наоборот, это начало нового приключения.

A post shared by Danny Gomes (@danny_d10b10f6) on


Danny cumpriu 255 jogos com a camisola do Zenit e ajudou o clube a conquistar três campeonatos. Durante a estadia no clube de São Petersburgo, o português sofreu três lesões nos ligamentos cruzados dos joelhos e recuperou sempre.

Na página oficial do clube, o Zenit destaca o facto de Danny se ter tornado “um ícone na Rússia e um dos poucos jogadores estrangeiros a ter aprendido russo. “A filha dele e da mulher Petra, Emily, nasceu na Rússia e os filhos gémeos Bernardo e Francisco jogam ambos na academia do Zenit”, sublinha ainda o clube.

O português vai ficar imortalizado como “uma verdadeira lenda do Zenit, onde vai parte do passeio da fama, tendo deixado as respetivas pegadas no museu do clube azul-celeste.”


De acordo com a página de estatísticas Zero Zero, Danny realizou 452 jogos e marcou 100 ao longo da carreira sénior entre clubes e seleção nacional. O avançado começou a mostrar-se na equipa B do Marítimo e nas seleções jovens. Mudou-se para o Sporting, na expetativa de ser o sucessor de Joo Vieira Pinto em Alvalade. Mas nunca se afirmou.

Com a chegada de José Peseiro a Alvalade, Danny foi transferido para o Dínamo de Moscovo e iniciou aí a ascensão na carreira que não conseguiu em Portugal. Quatro anos depois mudou-se para o Zenit de São Petersburgo, emblema a afirmar-se então como o de maior poderio no futebol russo. Foi à altura a transferência mais cara de sempre entre clubes russos.

Por Portugal, Danny soma 38 internacionalizações e quatro golos. A grande aposta poderá passar agora por encontrar um clube onde possa continuar a mostrar qualidade e quem sabe fazer parte dos 23 eleitos da seleção campeã da Europa no Mundial da Rússia daqui a um ano.