Última hora

Em leitura:

França: A caminho da maioria absoluta de Macron


França

França: A caminho da maioria absoluta de Macron

O caminho está traçado para a maioria absoluta: o movimento República em Marcha é o grande vencedor da primeira volta das eleições legislativas, se não for contada a abstenção.
O partido do recém eleito presidente Emmanuel Macron conquistou 32% dos votos neste escrutínio, deixando para trás, a grande distância, os principais adversários.

Os Republicanos ficaram em segundo. A Frente Nacional de Marine Le Pen em terceiro. O movimento de esquerda França Insubmissa ficou em quarto com cerca de 11% dos votos. O Partido Socialista francês afunda-se ainda mais depois das presidenciais e passa a quinta força política do país. Nesta primeira volta, se um candidato tiver mais de 50% dos votos no círculo eleitoral onde concorre ganha automaticamente e não há segunda volta. Se ninguém estiver acima dos 50%, passam à segunda volta os quatro candidatos mais votados, que tiverem a cima de 12,5% dos votos.


Na primeira reação aos resultados deste domingo, o primeiro-ministro francês, Édouard Philipe escolhido pelo presidente afirmou que “França está de regresso. Há um mês que o presidente soube encarnar, tanto em França como a nível internacional, a confiança, a vontade e a audácia. Na abstenção deste domingo vejo a consequência da desmobilização de certas formações políticas que não souberam encontrar um segundo folego depois de terem perdido as eleições presidenciais. Vejo também o efeito da demobilização de uma parte do eleitorado para quem a eleição do presidente da República fechou o debate”.

A abstenção rondou então os 50%, a taxa mais alta desde o início da quinta república francesa, em 1958.
A segunda volta das eleições presidenciais francesas está marcada para o próximo domingo, dia 18 de junho.

Grécia

Gregos exigem que França devolva Vénus de Milo