Última hora

França: Oposição pede voto contra "poder absoluto de Macron"

Em leitura:

França: Oposição pede voto contra "poder absoluto de Macron"

Tamanho do texto Aa Aa

Esta primeira volta das eleições legislativas em França representou uma pesada derrota para todos os adversários de Emmanuel Macron e do movimento República em Marcha.
Os Republicanos foram dos primeiros a reagir a este resultado e apelaram à mobilização contra o que chamam de statu quo de Macron.

François Baroin pediu ainda “a todos os que se abstiveram ou que fizeram uma escolha diferente na primeira volta, a todos os que exprimiram um voto de revolta, de exasperação, que na segunda volta votem pelo equilíbrio de poderes, não concentrado num só partido”.

Na primeira volta destas legislativas, a candidata da Frente Nacional, Marine Le Pen conseguiu 46,02% dos votos no círculo eleitoral de Pas-de-Calais, ficando à frente de Anne Roquet, do República em Marcha.
Le Pen garantiu que “é necessário juntar em verdadeiros deputados de oposição à política catastrófica de Emmanuel Macron, que, de acordo com a líder da Frente Nacional, se prepara para fazer um ataque ao direito de trabalho e vai deixar milhões de trabalhadores na precariedade sem dar nada de positivo às empresas”.

À esquerda a derrota foi mais expressiva. O Partido Socialista passou a quinta força política do país e nem mesmo o secretário-geral do partido conseguiu passar à segunda volta.
Jean-Cristophe Cambadélis lembrou que esta primeira volta foi marcada por um recuo sem precedentes da esquerda e apelou ao voto no próximo domingo, dia 18.

Também Jean-Luc Mélenchon, líder do movimento França Insubmissa considerou que os resultados eleitorais mostra que a “situação política é totalmente instável e uma ilusão”. Mélenchon pediu ainda aos franceses que não deêm o poder absoluto ao partido do Presidente.