Última hora

Última hora

Desarmamento das FARC não convence EUA

Em leitura:

Desarmamento das FARC não convence EUA

Tamanho do texto Aa Aa

A guerrilha colombiana das FARC prossegue o processo de desarmamento com a deposição de 60% do seu arsenal até esta quarta-feira. À luz do acordo de paz assinado em Novembro, a guerrilha realizou ontem uma nova cerimónia de entrega do seu armamento aos observadores da ONU, em La Elvira, no sul do país, um dos 26 pontos de desmobilização dos mais de oito mil combatentes, no processo de regresso à vida civil e de transição política da guerrilha marxista.

O vídeo da entrega das armas foi registado pela guerrilha que prefere falar de acordo que de rendição.

“Com este evento, as FARC querem mostrar ao país e ao mundo que estamos a fechar um capítulo na história do nosso país e começamos a escrever outro, o da paz”.

Um dia histórico também para o presidente colombiano, Juan Manuel Santos, impedido, pelo mau tempo, de assistir à cerimónia em La Elvira, assim como os outros dois representantes do mecanismo de verificação do processo de paz, o ex-primeiro-ministro espanhol, Felipe Gonzalez e o ex-presidente uruguaio José Mujica.

As FARC deverão abandonar todas as sete mil armas da guerrilha até dia 20 de Junho.

Um gesto que não convence para já a nova administração norte-americana. O secretário de Estado, Allex Tillerson, evocou ontem o que considerou serem alguns “defeitos do acordo”, em especial ao nível da luta contra o tráfico de droga e dos processos judiciais contra ex-guerrilheiros que poderiam incluir também alguns ex-responsáveis do governo, quando alguns tenores republicanos exigem que a guerrilha permaneça na lista norte-americana de organizações terroristas.