Última hora

Em leitura:

Fisco português investiga futebol nacional


Desporto

Fisco português investiga futebol nacional

A investigação do fisco espanhol a Cristiano Ronaldo faz parte de uma operação à escala europeia que está a ser realizada também no futebol português.

O Ministério Público de Madrid acusa o avançado do Real Madrid de ter, de forma “consciente”, criado uma sociedade para defraudar o fisco espanhol em 14,7 milhões de euros. Ronaldo disse, esta quarta-feira, estar inocente.

Cristiano Ronaldo é acusado de ter de forma “consciente”, criado uma sociedade para defraudar o fisco espanhol em 14,7 ME. “Essa declaração é absurda, porque ele não criou a sociedade para defraudar o fisco. Ele declarou os rendimentos e os rendimentos que ele declarou relativos a direitos de imagem respeitam um critério que é um critério razoável”, diz o advogado do jogador português. António Lobo Xavier garante que Ronaldo não fugiu aos impostos e argumenta que o que está em causa é uma “diferença de critério”.

As autoridades fiscais europeias estão a cruzar informação sobre contratos de trabalho e transferências financeiras no mundo do futebol. Em coordenação com as suas congéneres europeias, a Autoridade Tributária portuguesa está a investigar eventuais fugas ao fisco por parte de clubes e jogadores de futebol em Portugal.

No quadro desta investigação europeia, o empresário de Cristiano Ronaldo, Jorge Mendes, vai ser ouvido como arguido a 27 de junho num tribunal de Madrid no caso da alegada fuga fiscal do internacional colombiano Radamel Falcao, o atual jogador do Mónaco e ex-jogador do FC Porto, acusado de uma fraude fiscal no valor de 5,66 milhões de euros, em 2012 e 2013, quando jogava no Atlético de Madrid.

Trata-se do mesmo tribunal encarregado de investigar a denúncia apresentada pelo Ministério Público de Madrid contra Ronaldo.