Última hora

Última hora

Escola de presidente turco acusada de violência nos EUA

Dois turcos foram detidos esta quarta-feira após repressão de protestos pacíficos

Em leitura:

Escola de presidente turco acusada de violência nos EUA

Tamanho do texto Aa Aa

As autoridades norte-americanas preparam-se para acusar 12 guardas da escolta do presidente turco de violência agravada, após os violentos confrontos frente à embaixada turca em Washington no mês passado.

Dois seguranças de nacionalidade norte-americana e dois canadianos foram já formalmente acusados de crimes e ofensas durante a repressão do protesto pacífico de militantes curdos e arménios aquando da visita do presidente Erdogan aos Estados Unidos.

Dois dos homens foram detidos esta quarta-feira, nos estados da Virginia e Nova Jérsia.

A decisão da justiça deverá ser anunciada esta quinta-feira, segundo fontes oficiais citadas pela imprensa norte-americana, uma semana depois da Câmara dos Representantes ter aprovado uma resolução em que condena os ataques contra os manifestantes.

A maioria dos suspeitos terá, no entanto, abandonado o país com o presidente turco quando é improvável que Ancara permita a extradição dos agentes para os Estados Unidos.