Última hora

Em leitura:

Ucrânia: Marcha do Orgulho Gay com ultra-nacionalistas


Ucrânia

Ucrânia: Marcha do Orgulho Gay com ultra-nacionalistas

Milhares de pessoas demonstraram publicamente nas ruas de Kiev, a capital ucraniana, o orgulho na aceitação da homossexualidade, na Marcha do Orgulho Gay este domingo.

No facebook, a porta-voz da polícia de Kiev escreveu que cerca de duas mil e quinhentas pessoas formaram a Marcha.

Uma das participantes na Marcha dizia: “Quero que a nossa amada Ucrânia ultrapasse finalmente a barreira e que se torne numa sociedade tolerante.”

A polícia montou cordões no centro da cidade, numa segurança apertada, com mobilização de cerca de 5 mil elementos. Marchas do Orgulho Gay anteriores, em Kiev, acabaram de modo violento, sendo que a última Marcha se fez em 2016, com a de 2015 a ter sido cancelada quando militantes da ala direita bombardearam os participantes com granadas de fumo.

Este ano, houve também uma contra-manifestação, nada orgulhosa da existência da homossexualidade a ter lugar, como expressa bem o padre Kyostatynos: “Deus pune os pecados de Sodoma com as penas do inferno. A Ucrânia já testemunhou suficientes penas e o que estamos a fazer é a acrescentar mais uma ou mais do que isso. É por isso que enquanto padre Ortodoxo, partilho a posição de Deus, a mesma posição que a Sagrada escritura – a Bíblia.”

As centenas de ultranacionalistas contra a Marcha centraram a hostilidade na Polícia de Kiev, com dois polícias feridos e seis pessoas detidas. Um pouco menos do que o anúncio do grupo ultranacionalista Sector Direito, na véspera, de que a parada acabaria num banho de sangue.