Última hora

Portugal mobiliza-se na ajuda aos sinistrados do incêndio de Pedrógão Grande

Em estado de choque e em luto nacional, Portugal organiza-se para fazer chegar a ajuda aos sinistrados do incêndio de Pedrógão Grande

Em leitura:

Portugal mobiliza-se na ajuda aos sinistrados do incêndio de Pedrógão Grande

Tamanho do texto Aa Aa

Depois do choque provocado por um dos piores incêndios do úlltimo século em Portugal – que matou 61 pessoas e deixou feridas cerca de cinco dezenas – a ajuda organiza-se para fazer chegar às populações sinistradas os meios de subsistência.

A ajuda está a ser prestada por organismos oficiais mas também por muitos voluntários, solidários com quem perdeu familiares e amigos e todos os bens.

Uma voluntária explicou à nossa reportagem: “Nós estamos a receber mantimentos e água. Agora acabou de chegar uma carrinha que vai para Figueiró dos Vinhos, estamos a receber calçado, roupa, para as pessoas que perderam tudo e é o que a gente vai continuar a fazer”.

Um enfermeiro, também em regime de voluntariado diz: “Os primeiros-socorros psicológicos é aquilo que eu tenho estado a fazer com maior incidência, ouvir as pessoas, tentar ajudar, dar orientações…”

Um homem conta que perdeu tudo, mas, felizmente, conseguiu salvar toda a família:
“A minha prioridade era tentar sair de casa, tentar sair dali. Saí completamente no meio das chamas. Não.. não consigo.. – Conseguiram salvar-se todos? – “Sim, sim graças a Deus conseguimos. – Mas perdeu a sua casa? – Perdi tudo, completamente tudo”.

E acrescenta: “Fui lá de manhã ver e a casa estava completamente destruída, tudo ardido, tudo queimado, sem nada. Levo leite, água, as coisas mais essenciais para a gente comer. Vou dormir a casa dumas pessoas conhecidas que nos vão dar casa durante um dia ou dois até que a gente consiga arranjar outro sítio onde ficar porque a gente perdeu tudo, completamente tudo! Éramos quatro pessoas lá em casa, o meu pai, a minha mãe, a minha mulher e a filha.

A repórter da euronews, Filipa Soares, foi ver a estrada do inferno: a Estrada Nacional 236-1, onde dezenas de pessoas foram surpreendidas pelas chamas: “A partir de hoje esta vai ser definitavamente conhecida como a estrada da morte. Nela morreram mais de trinta pessoas que tentavam escapar nas suas viaturas às chamas deste enorme incêndio que deflagrou em Pedrógão Grande, no distrito de Leiria”.