Última hora

Última hora

Brexit: Barnier e Davis satisfeitos com resultado da primeira negociação

Os negociadores do Reino Unido e da União Europeia disseram que o primeiro dia de discussões sobre o Brexit foi "promissor". David Davis e Michel Barnier anunciaram que há acordo quanto ao calendário

Em leitura:

Brexit: Barnier e Davis satisfeitos com resultado da primeira negociação

Tamanho do texto Aa Aa

Se há algo em que os negociadores do Reino Unido e da União Europeia estão de acordo é que o primeiro dia de discussões sobre o Brexit foi “promissor”.

Após a reunião, segunda-feira, em Bruxelas, o ministro britânico e o representante da Comissão Europeia disseram que há acordo quanto ao calendário e os temas prioritários.

O ministro britânico, David Davis, reafirmou o desejo de um corte com o mercado único, dizendo que “a pertença ao mercado único exige o cumprimento das quatro liberdades de circulação e nós queremos recuperar o controlo sobre as nossas leis e fronteiras”.

“Vamos abandonar o mercado único e trabalhar para estabelecer um acordo de livre comércio. Também abandonaremos a união aduaneira e teremos um novo acordo nessa matéria. Os mesmos argumentos aplicam-se, sendo que essa é, também, a única maneira de estabelecer acordos de livre comércio com o resto do mundo, o que será uma grande vantagem para o Reino Unido”, acrescentou.

A União Europeia assegura que não quer penalizar o Reino Unido, mas o quadro final será pior do que aquele que existiu durante mais de 40 anos.

O negociador da União Europeia, Michel Barnier, explicou que “o Reino Unido não terá os mesmos direitos e os mesmos benefícios que a União dos Estados-membros”.

“Mas estou convencido de que é do nosso interesse comum estabelecer uma nova parceria entre os 27 países e o Reino Unido e que essa parceria poderá contribuir para a estabilidade sustentável do nosso continente. Os 27 países e as instituições europeias estão unidos nesta negociação”, acrescentou.

As prioridades a debater são os direitos dos cidadãos mais afetados, os compromissos financeiros assumidos por Londres e uma uma solução para a fronteira entre a Irlanda do Norte e a República da Irlanda.