Última hora

Em leitura:

França: A renovação "em marcha" no parlamento


França

França: A renovação "em marcha" no parlamento

A França assiste à renovação de três quartos do parlamento após a segunda volta das legislativas.

Uma renovação inédita que acompanha uma maioria absoluta igualmente excecional para o partido do presidente Emmanuel Macron.

Dos 577 deputados eleitos há cinco anos, apenas 145 foram reconduzidos no cargo, com a média de idades a ser reduzida de 54 para os 48 anos. Se a formação “República em Marcha” tenta incarnar a renovação geracional no parlamento, 75% do eleitorado mais jovem optou pela abstenção, no domingo, quando é a esquerda do partido de Jean-Luc Melenchon que obtém a palma dos deputados mais jovens no próximo hemiciclo.

A renovação mais simbólica passa pelo aumento do número de mulheres no parlamento, das 155 eleitas e 149 cessantes para 223 deputadas, cerca de 38,7% do hemiciclo, com a formação de Macron ainda longe da paridade total defendida durante a campanha, embora no topo dos partidos com mais representantes femininas, seguida dos aliados, os centristas do partido Modem e da formação de esquerda de Mélenchon.

O fenómeno Macron e a defesa de uma economia mais próxima das empresas é no entanto visível nas profissões dos novos deputados, com um aumento do número de gestores seguida de empresários em nome individual, de empregados e professores, com 13 agricultores no hemiciclo, uma tímida subida, após uma campanha marcada pelo tema do abandono da população rural.

O novo hemiciclo promete assim estar mais próximo da sociedade ativa com uma queda para mais de metade do número de pensionistas e com apenas um estudante sentado no parlamento.

Uma nova configuração onde a inexperiência dos recém-chegados rima com abertura ideológica e diversidade de posições para a equipa do novo presidente que, espera no entanto, poder contar com uma maioria absoluta, unida, para poder fazer avançar as reformas de Macron, em especial ao nível da polémica reforma laboral.