Última hora

Em leitura:

Jon Ossoff: A "arma" dos democratas contra a vaga Trump


EUA

Jon Ossoff: A "arma" dos democratas contra a vaga Trump

Os democratas norte-americanos esperam obter a desforra das presidenciais com a eleição de um jovem candidato à câmara dos representantes no Estado da Geórgia e bastião republicano há mais de 40 anos.

Jon Ossoff, de 30 anos, tinha obtido 48% dos votos na primeira volta, nos arredores de Atlanta, e é dado como favorito para a segunda volta desta terça-feira, transformada numa batalha campal entre partidos rivais, com um orçamento de campanha recorde de mais de 50 milhões de euros.

O candidato democrata rejeita falar de um teste à governação de Donald Trump:

“Esta corrida tem a ver com o que é mais importante para os eleitores da sexta circunscrição, com as suas preocupações com o acesso aos cuidados de saúde, em especial as mulheres face aos requisitos atualmente exigidos”.

Um tema que corresponde às críticas à reforma do sistema Obamacare, preparada em segredo pela equipa de Trump. O presidente recorreu às redes sociais para apoiar a candidata local dos republicanos, acusando o jovem rival de querer aumentar os impostos e de querer matar o sistema de saúde, as mesmas críticas com que o milionário tinha atacado os Democratas e o seu antecessor na Casa Branca, durante a campanha de novembro.

Um sinal da importância do escrutínio, em especial para os democratas, que tinham já perdido outros dois escrutínios para substituir deputados republicanos no Congresso, no Kansas e Montana, quando são dados como perdedores também na Carolina do Sul, esta terça-feira.

Ossoff é visto em Washington como uma nova geração de políticos que pode transformar o voto de revolta das presidenciais num voto de confiança numa alternativa democrata para as legislativas de meio-mandato, em novembro do próximo ano.