Última hora

Ataque a muçulmanos em Londres: Detido é um galês de 47 anos com 4 filhos

Darren Osborne será um extremista anti-Islão e já teria tido um episódio xenófobo com o filho de uns vizinhos muçulmanos durante durante o fim de semana.

Em leitura:

Ataque a muçulmanos em Londres: Detido é um galês de 47 anos com 4 filhos

Tamanho do texto Aa Aa

Darren Osborne, um galês de 47 anos, residente em Cardiff, casado, pai de quatro filhos e um extremista anti-Islão. É desta forma que está a ser identificado e descrito, por conhecidos e meios de comunicação, o suspeito detido às primeiras horas da madrugada de segunda-feira após atropelar um grupo de muçulmanos à saída das orações de domingo à noite do Ramadão, na mesquita de Finsbury Park, no norte de Londres.

Ao volante de uma carrinha, o homem investiu contra um grupo de pessoas. Uma morreu — um homem que deixa seis órfãos — e onze ficaram feridas — nove tiveram de receber assistência no hospital. As vítimas eram todas muçulmanas.


Algumas testemunhas alegam que, enquanto conduzia contra o grupo, o homem gritou: “quero matar todos os muçulmanos”. O atacante acabou imobilizado por outros civis presentes no local e depois entregue à polícia.

As autoridades detiveram o homem por suspeitas de ato terrorista, tentativa de homicídio e por suposta encomenda, preparação e incitação ao terrorismo.



Em comunicado, a família do suspeito diz-se “chocada”, revelou-se “incrédula”, mostrou-se “devastada pelas famílias” atingidas e “solidária com os feridos.”

Numa entrevista via telefone à ITV News, a mãe de Darren Osborne disse ter tido conhecimento da prisão do filho pela televisão. “Não o vou defender, mas é meu filho. Foi um choque terrível. Não foi apenas o assalto a um banco, é uma atrocidade e, neste momento, não estou a lidar bem com isto. Não consigo”, disse.


Nicola, a irmã do suspeito, citada pela Press Association, pediu “muita desculpa pelo sucedido.”

Uns vizinhos muçulmanos de Darren Osborne contaram nunca ter tido problemas com o suspeito até este último fim de semana. Khadijh Sherazi conta que durante o fim de semana Darren Osborne já tinha proferido insultos racistas contra o seu filho de 12 anos, a quem o suspeito apelidou de “inbred”, insulto inglês para os descendentes de relações incestuosas.

Menos de 24 horas após o violento ataque, foi realizada uma vigília próximo da mesquita visada. A multidão presente congregou representantes de diferentes religiões, expressando solidariedade pela comunidade islâmica.


A Comissária da polícia londrina juntou-se à vigília. Ao lado de Mohammed Kozbar, o líder da mesquita, Cressida Dick observou um minuto de silêncio e depois lamentou a morte a sangue frio de um inocente pai de seis filhos às mãos de “um extremista, um terrorista”, sublinhou a comissária da polícia.

O ataque está a ser considerado como “terrorista” e a secretária (ministra) da Adminsitração Interna, Amber Rudd, descreve-o como “outro ataque contra o Reino Unido” e que vai “unir ainda mais os britânicos.”