Última hora

Em leitura:

Remodelação forçada no governo francês


França

Remodelação forçada no governo francês

Após pouco mais de um mês de rodagem, o governo francês sofreu a primeira remodelação. Uma remodelação forçada pela demissão de três ministros, todos eles do Modem, o partido centrista que apoiou Emmanuel Macron na candidatura à presidência.

A nova composição do gabinete de Edouard Philippe foi anunciada esta quarta-feira pelo secretário-geral do Eliseu, Alexis Kohler.

Todos os ministros e uma secretária de Estado do partido centrista de François Bayrou, MoDem, que apoiou o novo presidente francês Emmanuel Macron, resignaram aos cargos. Em pano de fundo, o alegado envolvimento numa utilização indevida de fundos europeus. O MoDem está a ser investigado pelas autoridades francesas por suspeita de ter havido recurso a fundos da União Europeia para pagar salários a funcionários do partido.

Foi este escândalo que empurrou na segunda-feira à demissão os ministros Sylvie Goulard e Richard Ferrand. Bayrou apresentou a sua carta de demissão ao presidente esta quarta-feira de manhã.

Entram três mulheres para o novo governo. Nicole Belloubet, jurista e membro do Conselho Constitucional desde 2013, substitui François Bayrou no Ministério da Justiça. Florence Parly, antiga secretária de Estado do orçamento no governo de Lionel Jospin, vai ocupar o lugar deixado por Sylvie Goulard à frente do Ministério da Defesa. O cargo de Secretária dos Assuntos Europeus é ocupado por Nathalie Loiseau.