Última hora

Em leitura:

Incêndio da Torre Grenfell provoca protestos e demissão


Reino Unido

Incêndio da Torre Grenfell provoca protestos e demissão

Centenas de manifestantes exigindo justiça para as vítimas do incêndio na Grenfell Tower marcharam, quarta-feira, desde o oeste de Londres até ao parlamento britânico.

O protesto, organizado pelo Movimento Justiça por Qualquer Meio Necessário, visava “derrubar o governo” pela resposta ao incêndio.

O responsável executivo da autarquia londrina de Kensington e Chelsea, Nicholas Holgate, anunciou a sua demissão. Holgate disse que se demitiu a pedido do secretário Para o Poder Local, Sajid Javid, mas o Governo negou a informação.

A demissão de Holgate aconteceu poucas horas após a primeira-ministra britânica, Theresa May, criticar o apoio inicial que foi prestado às vítimas.

O primeiro funeral de uma das vítimas do desastre da Grenfell Tower, o refugiado sírio Mohammad Alhajali, de 23 anos, que estudava engenharia civil na universidade de West London, realizou-se quarta-feira. A cerimónia foi realizada na presença de parentes que viajaram desde a Síria e do presidente da Câmara de Londres, Sadiq Khan.

O Governo britânico informou que os afetados pelo incêndio de Londres, em que se incluem dez portugueses, vão ser realojados num bloco de apartamentos de luxo perto do local do sinistro.

O incêndio da Torre Grenfell fez, pelo menos, 79 mortos e 78 feridos, 10 dos quais em estado crítico. Entre 400 e 600 pessoas viviam na Torre Grenfell, de 24 andares e 120 apartamentos, que foi totalmente consumida pelo fogo na madrugada da passada quarta-feira.