Última hora

Última hora

Centro russo-sérvio de auxílio humanitário levanta questões

Inaugurado em 2012, o objetivo do centro é fornecer assistência em situações de emergência incluindo desastres naturais.

Em leitura:

Centro russo-sérvio de auxílio humanitário levanta questões

Tamanho do texto Aa Aa

No sul da Sérvia, na cidade de Nis, encontra-se o centro russo-sérvio para auxílio humanitário.

Inaugurado em 2012, o objetivo do centro é fornecer assistência em situações de emergência incluindo desastres naturais.

A Rússia já abriu centros idênticos em Cuba e na Arménia. No entanto, vários órgãos de comunicação sérvios especulam se este centro não será a primeira etapa com vista à criação de uma base militar russa na Europa.

As acusações foram rejeitadas pelo co-diretor do centro.

“Aqui está o equipamento ultra-secreto para espiões, e este aqui foi a nossa primeira vítima”, afirma o diretor, Viacheslav Vlasenko, em tom irónico, apontando para várias ferramentas assim como um manequim que faz parte do equipamento de formação do centro

A oposição sérvia considera este centro como parte de um jogo político liderado pelo governo. O antigo primeiro-ministro sérvio, Zoran Zivkovic, explica.

“O papel deste centro é uma questão que diz respeito às autoridades que querem fazer o papel de Tito e manter boas relações com o ocidente e o oriente. E como a política está virada para a União Europeia, alguém provavelmente pensa que é bom também incluir Moscovo. O interesse de Moscovo é manter a Sérvia como uma pequena pedra no sapato da Europa ou América”.

Para o jornalista da euronews, Borjan Jovanovski, o futuro deste centro permanece incerto. Sabemos que a Rússia tem os seus próprios interesses na região cujas raízes são históricas. As populações dos Balcãs sentem que a cultura eslava e ortodoxa estão muito próximas das suas próprias raízes até ao momento em que começam a interferir na perspetiva europeia, o rumo escolhido pela maioria dos cidadãos dos países desta região.