Última hora

Última hora

Líderes da UE aprovam estrutura permanente de cooperação na defesa

Os chefes de Estado e de Governo da União Europeia chegaram a acordo, quinta-feira, sobre lançar uma estrutura permanente de cooperação na defesa, associada a um fundo de investimento. Outros temas em

Em leitura:

Líderes da UE aprovam estrutura permanente de cooperação na defesa

Tamanho do texto Aa Aa

Os chefes de Estado e de Governo da União Europeia chegaram a acordo, quinta-feira, sobre lançar uma estrutura permanente de cooperação na defesa, a que se associa um fundo de investimento para modernizar o setor.

O presidente da Comissão Europeia, Jean-Claude Juncker, realçou que esta estratégia “é necessária porque na Europa existem 178 tipos de sistemas de armas, enquanto que os EUA têm 30. Na Europa existem 17 tipos de tanques, mas os EUA só têm um”.

Uma lista comum de critérios e compromissos vinculativos será elaborada pelos Estados-Membros no prazo de três meses, explicou, por seu lado, o presidente do Conselho Europeu, Donald Tusk, na conferência de imprensa, no primeiro dia da cimeira de líderes, em Bruxelas.

Tusk informou, também, que “a chanceler alemã e o presidente francês têm informações sobre a situação na Ucrânia e o grau de implementação do acordo de paz de Minsk. Com base nisso, deveremos prolongar as sanções económicas contra a Rússia por mais seis meses”.

A segurança interna, a migração e o Brexit são outros temas em debate na cimeira.

No que se refere a dar prioridade aos direitos dos cidadãos nas negociações sobre a saída do Reino Unido, o Presidente francês, Emmanuel Macron, considerou que “é certamente um bom sinal começar por aí porque é um assunto que causa ansiedade a muitos cidadãos da União que vivem no Reino Unido”.

“Vejo essa decisão como sinal de pragmatismo e como um gesto positivo numa negociação que está agora a começar”, acrescentou Macron, que participou pela primeira vez numa cimeira da União Europeia.

A reunião ordinária de verão, que se prolonga pela manhã de sexta-feira, é a última antes das importantes eleições legislativas na Alemanha, em setembro.