Última hora

Última hora

Schulz ao ataque tenta relançar campanha para chanceler

O social-democrata alemão, Martin Schulz, com as eleições legislativas no horizonte, passou ao ataque. No congresso onde apresentou o seu programa, em Dortmund, domingo, o antigo presidente do Parlamento europeu, acusou a chanceler alemã, Angela Merkel de" arrogância" e de "minar a democracia".

Em leitura:

Schulz ao ataque tenta relançar campanha para chanceler

Tamanho do texto Aa Aa

O social-democrata alemão Martin Schulz, com as eleições legislativas de setembro no horizonte, passou ao ataque. No congresso partidário onde apresentou o seu programa, em Dortmund, domingo, o antigo presidente do Parlamento europeu acusou a chanceler alemã, Angela Merkel, de” arrogância” e de “minar a democracia” .

“Quando um partido vem e diz “nós não temos nada a ver com isso e nós não debatemos isso durante a campanha eleitoral”, isso é a arrogância do poder, nada mais, senhores e senhoras,” afirmou o líder do SPD, Martin Schulz, numa referência à aparente recusa do partido CDU, de Angela Merkel, a discutir as pensões durante a campanha eleitoral.

Apesar de nas sondagens de domingo Schulz ter conseguido apenas 24% das intenções de voto, contra 39% da sua opositora, o social-democrata não pretende que a candidata democrata cristã consiga o quarto mandato de chanceler

Para recuperar o atraso, o SPD adotou um discurso mais à esquerda. Formou uma comissão para estudar um eventual imposto sobre as fortunas e prometeu instaurar o casamento para casais homossexuais, assunto sobre o qual os conservadores de Merkel nem querem ouvir falar.