Última hora

Última hora

EUA acusam Síria de estar a preparar ataque químico

A Casa Branca avisou o presidente sírio de que "vai pagar um preço elevado" caso um novo ataque químico ocorra.

Em leitura:

EUA acusam Síria de estar a preparar ataque químico

Tamanho do texto Aa Aa

Os Estados Unidos da América asseguraram que o regime de Bashar al-Assad, está a preparar um novo ataque com armas químicas, na base aérea de al-Shayrat, bombardeada pela Força aérea norte-americana, a 7 de abril, como retaliação por um ataque, dias antes, provavelmente com gás sarin.

A Casa Branca avisou, na segunda-feira, o presidente sírio de que “vai pagar um preço elevado” caso um novo ataque químico ocorra.

Nas Nações Unidas, a embaixadora norte-americana estendeu a advertência à Rússia e ao Irão:

“O objetivo é, neste momento, não apenas enviar uma mensagem a Assad mas, também enviar à Rússia e ao Irão uma mensagem de que se isso acontecer de novo, estamos a colocar-vos de sobreaviso. Espero que o aviso do presidente leve a Rússia e o Irão a pensarem de novo”, avisou Nikki Haley.


Moscovo já se pronunciou e considera “inaceitável” qualquer ameaça por parte de Washington contra o “líder legítimo” da Síria e recordou que não houve qualquer investigação internacional imparcial que estabelecesse que o ataque de 4 de abril foi perpetrado pelo regime de Damasco.

De França, saiu o apoio de Emmanuel Macron. O presidente francês afirmou que apoiará a resposta dos Estados Unidos, caso se verifique um ataque com armas químicas na Síria.