Última hora

Google e os algoritmos da discórdia

Contenda entre a Google e Bruxelas adivinha-se longa.

Em leitura:

Google e os algoritmos da discórdia

Tamanho do texto Aa Aa

O que está afinal em causa no braço-de-ferro que opõe a Google a Bruxelas?

A fonte da discórdia é o serviço de comparação de preços, mais conhecido como “Google Shopping” e antes apelidado de Google Product Search.

Bruxelas entende que “a Google incluiu uma série de critérios nos algoritmos de resultados de busca”, o que na prática implica que os serviços concorrentes de comparação de preços sejam relegados para posições inferiores.

Ao procurar um determinado artigo, o utilizador recebe a recomendação, em primeiro lugar, dos resultados oriundos da ferramenta Google Shopping. Estes nada mais são do que anúncios que outros clientes da Google pagaram para figurarem entre os resultados de topo da busca.

Segundo a Comissão, “o serviço de comparação de preços da Google não está sujeito aos algoritmos de pesquisa genéricos da Google que preveem essas despromoções.”