Última hora

Última hora

Plano de Saúde anti-Obamacare ameaça 22 milhões de norte-americanos

Relatório independente traça previsão dramática e estima quase 50 milhões de pessoas sem acesso a seguros de saúde em 2026

Em leitura:

Plano de Saúde anti-Obamacare ameaça 22 milhões de norte-americanos

Tamanho do texto Aa Aa

Pelo menos 22 milhões de cidadãos americanos poderão vir a perder o respetivo seguro de saúde na próxima década se o plano “Obamacare” for substituído pelo novo plano proposto pelo Senado dos Estados unidos, atualmente dominado pelos Republicanos (52 lugares dos 100 que compõem a câmara).

O aviso partiu do Gabinete Orçamental do Congresso (CBO, na sigla original), uma entidade independente, e levantou críticas e eventuais obstáculos à aprovação do novo plano de saúde desenhado para derrubar o plano de saúde implementado pela anterior Administração norte-americana liderada por Barack Obama.

O relatório estima que logo em 2018, com o novo plano de saúde já apelidado de “Trumpcare”, haverá mais 15 milhões de pessoas sem seguro de saúde. Se o “Obamacare” se mantiver, o relatório estima que, em 2026, haverá apenas 28 milhões de cidadãos sem seguro de saúde contra os quase 50 milhões estimados com o plano proposto pelo Senado.


Os senadores moderados revelam preocupação pelos milhões de pessoas que poderão perder o acesso a seguros de saúde, enquanto alguns senadores conservadores consideram que a nova proposta de lei não é suficiente para revogar o “Obamacare”.

Pelo menos quatro senadores republicanos — Ted Cruz, Rand Paul, Ron Johnson e Mike Lee — expressaram oposição à nova legislação proposta pelo Senado.

O líder do Senado, o republicano Mitch McConnell, pretende colocar a proposta a votação ainda antes do feriado de quatro de julho, que assinala a independência dos Estados Unidos. A aprovação não parece, contudo, fácil.

O relatório do Gabinete Orçamental do Congresso “é de fazer cair o queixo”, dizem os Democratas. O líder dos liberais no Senado, Chuck Schumer, alega que “o relatório confirma o que médicos, defensores dos pacientes, democratas e republicanos têm vindo a dizer há semanas”: “o ‘TrumpCare’ vai levar a contrair maiores despesas e menores cuidados, e vai levar dezenas de milhões de americanos a ficar sem qualquer seguro de saúde.”



Em ação promocional do apelidado “Trumpcare”, o vice-presidente Mike Pence realizou uma audiência na Casa Branca com alegadas “vítimas” do “Obamacare”.

Perante a empatia de Mike Pence, as pessoas contaram ter perdido o acesso aos planos de saúde de que gostavam e que as despesas aumentaram com a adesão ao “Obamacare”.

O vice-presidente de Donald Trump agradeceu a partilha das histórias e prometeu, junto com o Presidente e a restante Administração, “não parar até ter o problema resolvido.”