Última hora

Última hora

Holanda condenada pelo "massacre de Srebrenica"

A guerra da Bósnia é mais sangrento episódio da história europeia pós II Guerra Mundial e soldados holandeses terão contribuído para a morte de mais de 300 bósnios muçulmanos.

Em leitura:

Holanda condenada pelo "massacre de Srebrenica"

Tamanho do texto Aa Aa

Um tribunal da Holanda confirmou esta terça-feira a condenação do governo holandês pela responsabilidade parcial na morte de mais de 300 bósnios muçulmanos, conhecidos como “bosniaks”, assassinados há pouco mais de 20 anos por bósnios sérvios no apelidado “massacre de Srebrenica”. O governo agora liderado por Mark Rutte vai ter de indemnizar as famílias das vítimas.

Situada no leste da atual Bósnia e Herzegovina, Sebrenica foi palco, em julho de 1995, daquele que terá sido o pior massacre na Europa desde a II Guerra Mundial. Oito mil bósnios muçulmanos foram ali massacrados.

Mais de trezentos estavam abrigados num complexo das Nações Unidas, foram entregues por capacetes azuis holandeses às forças sérvias comandadas pelo general Ratko Mladic e acabaram mortos.



Os familiares e até alguns membros do batalhão holandês processaram a Holanda pelo sucedido em Srebrenica. Em 2014, o Estado holandês já havia sido condenando em primeira instância, mas recorreu para ver agora a justiça confirmar a condenação.

A juíza reconheceu contudo apenas 30 por cento de hipóteses de sobrevivência caso as vítimas não tivessem sido entregues aos alegados carrascos e, por isso, a indemnização deverá ser conforme, o que não agradou às famílias das vítimas.


A líder do grupo “Mães de Srebrenica”, Munira Subasic, não perdoa à Holanda por não ter protegido os seus compatriotas no leste da Bósnia nem pelo atual veredicto, no qual o tribunal acrescentou não estar 100 por cento claro se as vítimas teriam sobrevivido mesmo que não tivessem sido entregues aos sérvios.

“Tornou-se claro que este veredicto é contra os muçulmanos. Os soldados holandeses cederam aos sérvios por causa do poder de fogo deles. Nunca vos perdoaremos, mas Deus existe. Ele que vos castigue”, afirmou Munira Subasic.