Última hora

Última hora

Ataque cibernético à escala global: Governos e multinacionais afetados

Em leitura:

Ataque cibernético à escala global: Governos e multinacionais afetados

Tamanho do texto Aa Aa

Os ataques cibernéticos têm sido notícia nos últimos tempos e a dimensão do fenómeno parece agigantar-se: está em curso um ataque cibernético a grande escala, que afeta vários países e seus Governos e multinacionais ou empresas dominantes.

A Ucrânia e a Rússia parecem ser os países mais afetados.

Um ransomware chamado Petya começou por atingir a Ucrânia, a Rússia, Reino Unido e India, diz uma agência de informação tecnológica suíça citada pela Reuters, apesar de, até à data, não haver registo de empresas suíças atingidas.

Um conselheiro do ministro ucraniano do Interior declarou que uma versão do WannaCry, (programa informático mal-intencionado que restringe acesso a determinados ficheiros do sistema afetado e pede um resgate em troca de eliminar esta restrição. Em inglês, o termo é ransomware), tinha causado danos em sítios eletrónicos do Governo e de várias empresas. O principal aeroporto ucraniano também foi afetado.

O WannaCry espalhou-se por mais de 200 mil computadores e 150 países em maio. O Petya também não é novo e, em 2016, causou estragos ao interferir com vários sistemas informáticos.

O primeiro-ministro ucraniano, Volodymyr Groysman, apelidou o ataque em curso como “sem precedente” e “o pior da história da Ucrânia”, mas acrescentou que não tinha atingido sistemas IT (Informação Tecnológica) “importantes”, com os especialistas de IT a “fazer o seu trabalho e a proteger infraestruturas estratégicas”.
O aeroporto de Kiev avisou através do seu diretor que podiam ocorrer atrasos ou cancelamentos de vôos devido ao ataque. O Vice primeiro ministro ucraniano anunciou na rede social twitter que a sede governamental tinha os sistemas informáticos em baixo. Segundo fontes oficiais ucranianas, o serviço postal estatal, vários bancos e a maior companhia telefónica do país foram atingidos,

As acusações ucranianas viram-se agora para a Rússia.

Contudo, na Rússia, e segundo a Reuters, o ataque também causa efeitos a grande escala: o maior produtor de combustível russo, a empresa Rosnet, afirmou que um ataque de larga escala tomou os servidores e alguns bancos debatem-se com o mesmo problema, sob o olhar atento do Banco Central da Rússia.

A Dinamarca tem a maior empresa de transporte marítimo sem sistema informático e a maior agência de publicidade britânica foi também alvo de ataque. Da Noruega, há notícia de o ataque ter afetado “uma companhia internacional”, sem que seja referido qual e com a garantia de ser caso único.