Última hora

Última hora

Conduta imprópria, conspiração, obstrução: os crimes de polícias de Chicago

Um adolescente de 17 anos, negro, foi morto em 2014 por um polícia branco. Outros 3 agentes encobriram o crime e foram agora acusados.

Em leitura:

Conduta imprópria, conspiração, obstrução: os crimes de polícias de Chicago

Tamanho do texto Aa Aa

Mais do que um código de silêncio, a construção de uma mentira.
É este o motivo da acusação de 3 polícias que integram ou já integraram a polícia de Chicago.

Um dos crimes em causa é o de conspiração para cobrir as circunstâncias da morte de Laquan McDonald, 17 anos, negro, por um polícia branco.

Outros são conduta profissional imprópria e obstrução à justiça.

O incidente remonta a 2014. Em 2015, a divulgação de um vídeo deixa pouca margem para dúvidas. Gerou protestos e debates nacionais sobre respostas excessivas da força policial face a minorias.

Patricia Holmes, Procuradora especial, afirmou em conferência de imprensa: “A acusação alega que estes réus mentiram sobre aquilo que se passou num alvejamento que envolveu um polícia para impedir que investigadores criminais independentes soubessem a verdade. A acusação torna claro que é inaceitável obedecer a um código de silêncio não oficial.”

O então agente Jason van Dyke terá alvejado McDonald sem que isso fosse óbvio dentro dos trâmites de atuação da força policial. Outros três elementos policiais encobriram as circunstâncias.
Em 2015, van Dyke declarou-se inocente da acusação de homicídio. Aguarda julgamento.
Em março de 2016 tinha mais 16 acusações de agressão agravada. Declarou-se inocente de todas elas.

Jason van Dyke e dois outros réus, David March e Joseh Walsh, já não pertencem à força policial. Um terceiro, Thomas Gaffney, será suspenso sem salário. March conta com 30 anos de permanência na Polícia, Walsh e Gaffney com 20 anos cada.

Espera-se que todos sejam ouvidos a 10 de julho.

A Polícia de Chicago finalizou no mês passado reformas mais estritas quanto às situações limite em que os agentes são autorizados a usar armas de fogo e outro tipo de coação. Um atentativa última para renovar um departament policial envolto em conduta imprópria e críticas desde a morte de Laquan McDonald, em 2014.