This content is not available in your region

Índia vive revolução fiscal

Access to the comments Comentários
De  Ricardo Figueira
Índia vive revolução fiscal

<p><strong>Com Reuters</strong></p> <p>A Índia está a viver a maior revolução fiscal desde a independência, com a criação de um imposto único sobre transações, que vem substituir uma série de impostos federais e estaduais. O primeiro-ministro Narendra Modi lançou, numa cerimónia no parlamento, o <span class="caps">GST</span> – Goods and Services Tax (Imposto sobre bens e serviços), que deve simplificar esta que é uma das maiores economias emergentes do mundo: “O <span class="caps">GST</span> é um catalisador que vai acabar com o desequilíbrio na balança comercial e dar um impulso à promoção das exportações”, disse o chefe do governo.</p> <p>Segundo o banco <span class="caps">HSBC</span>, a introdução deste imposto único deve acrescentar 0,4 pontos percentuais à taxa de crescimento do <span class="caps">PIB</span>, mas nem todos estão contentes. Alguns produtos vão ficar mais caros, além de que o novo sistema obriga a uma informatização. A maior parte dos comerciantes indianos trabalha ainda com faturas escritas à mão e muitos não sabem usar um computador. Se tudo funcionar como planeado pelo governo de Modi, o imposto deve fazer as empresas indianas poupar cerca de 12 mil milhões de euros em logística.</p>