This content is not available in your region

Primeiro-ministro em Mossul para celebrar vitória sobre jiadistas

Access to the comments Comentários
De  Antonio Oliveira E Silva
Primeiro-ministro em Mossul para celebrar vitória sobre jiadistas

<p><strong>Com Reuters</strong></p> <p>O primeiro-ministro iraquiano, <strong>Haider al-Abadi</strong>, deslocou-se a <strong>Mossul</strong> para agradecer ao exército Federal o que definiu como a vitória sobre os jiadistas do autoproclamado Estado Islâmico ou <strong><em>Daesh</em></strong> (sigla em língua árabe), <strong>oito meses</strong> depois do início de uma operação que deverá ter posto termo a três anos de ocupação da segunda maior cidade do país.</p> <p>Uma vitória dolorosa, já que grande parte de Mossul se encontra agora em <strong>ruínas</strong> e que milhares de habitantes morreram durante a ocupação e por causa dos confrontos entre o <strong><em>Daesh</em></strong> e o exército iraquiano.</p> <p>Calcula-se que cerca de <strong>um milhão</strong> de pessoas tenham sido obrigadas a deixar a cidade de <strong>Mossul</strong> por causa do conflito.<br /> <br /> <strong>Jiadistas prometeram “lutar até à morte</strong><br /> <br /> Os militantes extremistas do <strong><em>Daesh</em></strong> prometeram não desistir e disseram que tinham a intenção de “lutar até à morte”.</p> <p>Segundo declarações de um porta-voz do exército iraquiano à televisão pública nacional, cerca de <strong>30 jiadistas</strong> teriam sido mortos enquanto tentavam fugir pelo <strong>Rio Tigre</strong>.</p> <p>A mesma fonte disse ainda que, no que foi definido como <strong>“um ato de desespero”</strong>, os militantes enviaram para as zonas onde se encontravam civis um grupo de mulheres que transportavam bombas, com a intenção de gerar o terror.<br /> <br /> <blockquote class="twitter-tweet" data-lang="pt"><p lang="en" dir="ltr">Iraqi forces battling Islamic State reach Mosul Old City’s Tigris riverbank – state TV <a href="https://t.co/Kk1eBVUE59">https://t.co/Kk1eBVUE59</a> <a href="https://t.co/DFtZdG0EV6">pic.twitter.com/DFtZdG0EV6</a></p>— Reuters UK (@ReutersUK) <a href="https://twitter.com/ReutersUK/status/884035688882163713">9 de julho de 2017</a></blockquote><br /> <script async src="//platform.twitter.com/widgets.js" charset="utf-8"></script><br /> <br /> <strong>Dura batalha para o exército iraquiano</strong><br /> <br /> A batalha por Mossul deixou <strong>marcas</strong> no exército de Bagdade. Embora as autoridades não revelem dados relativamente às baixas no terreno, Washington disse que Unidade de Combate ao Terrorismo perdas na ordem dos 40%.</p> <p>O departamento de <strong>Defesa</strong> dos Estados Unidos pediu mais de <strong>mil milhões de euros</strong> em fundos para continuar a apoiar as forças iraquianas durante o próximo ano de 2018.<br /> <br /> <strong>Daesh reduzido a áreas rurais do Levante</strong><br /> <br /> Sem o controlo de Mossul, os jiadistas do <strong><em>Daesh</em></strong> ficam reduzidos a áreas predominantemente <strong>rurais e quase desertas</strong> a sul e a este da cidade.</p> <p>Foi há cerca de <strong>três anos</strong> que os jiadistas do Estado Islâmico, liderados por <strong>Abubacar al-Baghdadi</strong>, proclamaram o que definiram como um <strong>califado</strong> em parte dos territórios sírio e iraquiano.</p> <p>Agora, as <strong>Nações Unidas</strong> estimam que serão necessários quase <strong>mil milhões de euros</strong> apenas para recuperar as infraestruturas básicas de Mossul.</p>