Última hora

Desiludido com o Reino Unido, Guy Verhofstadt ameaça vetar Brexit

As negociações sobre o Brexit começaram há menos de um mês, mas o coordenador do processo pelo Parlamemento Europeu, Guy Verhofstadt, está desiludido com o Reino Unido e ameaçou com o veto. A analista

Em leitura:

Desiludido com o Reino Unido, Guy Verhofstadt ameaça vetar Brexit

Tamanho do texto Aa Aa

As negociações sobre o Brexit começaram há menos de um mês, mas Guy Verhofstadt está desiludido com o Reino Unido e ameaçou com o veto, já que cabe ao Parlamento Europeu aprovar o acordo final.

O coordenador do processo por parte desta instituição criticou a proposta sobre os direitos dos cidadãos, num artigo de opinião publicado, segunda-feira, no jornal britânico “The Guardian”.

O texto foi co-assinado por vários eurodeputados, incluindo o belga Philippe Lamberts, dos Verdes: “Aquilo que classificam de oferta generosa não é, de facto, generosa, se comparada com os direitos que os cidadãos britânicos vão ter no continente, face aos que lhes é oferecido pela União Europeia”.

“Os direitos que o governo britânico está disponível para conceder aos cidadãos da União Europeia equivalem a uma espécie de cidadania de segunda classe, que pode ser revogada a qualquer momento. É o que eles chamam de “estatuto estabelecido”, que pode ser adquirido, o que não será fácil, e que mais tarde poderá ser revogado”, acrescentou o eurodeputado, numa entrevista à euronews.

As críticas ao governo britânico foram também colocadas numa carta enviada ao líder das negociações pela Comissão Europeia, Michel Barnier.

A analista política Maria Demertzis, do centro de estudos europeus Bruegel (em Bruxelas), também considera a proposta negativa para ambas as partes.

“Ter estatuto de nacional de país terceiro significa que será muito mais difícil entrar no Reino Unido, seja como turista ou para obter autorização de trabalho. É uma má notícia para o Reino Unido porque todas as pessoas altamente qualificadas da União Europeia que estão, atualmente, a trabalhar nos serviços financeiros, nos hospitais, etc, não se sentirão encorajadas a ficar no Reino Unido e isso vai ter um impacto negativo na economia do Reino Unido”, explicou a analista, em entrevista à euronews.

Cerca de três milhões de cidadãos de países da União Europeia vivem no Reino Unido. O grupo de eurodeputados envolvido no processo do Brexit afirma que a proposta apresentada pelo país “não respeita os princípios de reciprocidade, simetria e não discriminação”.