Última hora

Em leitura:

"Breves de Bruxelas": proibição do véu e conta a pagar pelo Brexit


A redação de Bruxelas

"Breves de Bruxelas": proibição do véu e conta a pagar pelo Brexit

A proibição de usar véu integral no espaço público é uma “medida necessária” numa sociedade democrática, pois o niqab ou a burqa não permitem que uma pessoa seja identificada.

O argumento foi utilizado pelo Tribunal Europeu dos Direitos do Homem, terça-feira, para rejeitar as queixas apresentadas por duas mulheres muçulmanas contra a legislação adotada pela Bélgica, em 2011.

A correspondente da Euronews em Bruxelas, Gulsum Alan, falou com a advogada das queixosas e com um ativista pela defesa da laicidade.

Neste programa que passa em revista a atualidade europeia da semana destacamos, ainda, a questão da “conta” do Brexit, que é um dos tópicos mais difíceis em negociação entre Bruxelas e Londres.

A União Europeia insiste que os compromissos financeiros a honrar devem ser decididos antes de iniciar conversações sobre um acordo de livre comércio e alguns especialistas dizem que a conta pode chegar aos 60 mil milhões de euros.

Algo impensável para o chefe da diplomacia britânica, Boris Johnson, que usou a palavra “extorsão” para responder a uma pergunta sobre o tema no Parlamento do Reino Unido.

Destaque, ainda, para o momento histórico na Ucrânia, que acolherá a primeira cimeira com a União Europeia após a ratificação do Acordo de Associação, um pacto comercial com Bruxelas.

A entrada em vigor ocorre já a 1 de setembro, sendo que este acordo e o processo para as reformas do país serão discutidos, quarta e quinta-feira, em Kiev (capital ucraniana).

Outros tópicos da agenda são a recente introdução de isenção de vistos para os ucranianos que viajam para a União Europeia, a situação na Crimeia e o conflito no leste do país.