Última hora

Em leitura:

Emirados negam ter pirateado o Qatar


Qatar

Emirados negam ter pirateado o Qatar

Os Emirados Árabes Unidos negam estar na origem da crise diplomática com o Qatar ao rejeitar as novas revelações de que o país teria pirateado a página internet da agência de notícias de Doha.

O jornal Washington Post cita fontes dos serviços secretos norte-americanos que asseguram que Abu Dabi teria planeado um ataque informático para falsificar as declarações do emir do Qatar que inflamaram a crise no início de Junho.

Na citação, publicada em Maio e desmentida pelo governo, o emir defendia publicamente o Hamas e o Irão, levando a Arábia Saudita e os países vizinhos a cortar relações por alegado apoio ao terrorismo.

As alegações do Washington Post surgem num momento em que a crise se encontra num impasse. O ministro dos Negócios Estrangeiros francês, Jean-Yves Le Drian, deslocou-se a Abu Dabi para apelar à retoma das negociações, quando os Emirados exigem uma mediação internacional, assegurando querer ver “uma mudança de atitude e não de regime”.

Doha rejeita as acusações de financiamento do terrorismo e de ligações ao Irão, o principal rival regional do regime saudita, tendo recusado aceder à lista de 13 exigências sauditas para pôr fim à crise, uma das quais se refere ao encerramento do canal de notícias internacional Al-Jazeera.